Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Brasil quer dobrar número de turistas estrangeiros e gerar 2 milhões de empregos - Jornal Brasil em Folhas
Brasil quer dobrar número de turistas estrangeiros e gerar 2 milhões de empregos


O Ministério do Turismo lançou nesta terça-feira (27) o Plano Nacional do Turismo (PNT), que elenca um conjunto de metas para o setor nos próximos quatros anos. Entre os objetivos a serem alcançados até 2022, está a criação de 2 milhões de postos de trabalho no segmento, que somente no ano passado foi responsável por 8,5% do Produto Interno Bruto (PIB), com aporte de US$ 152,2 bilhões na economia brasileira. O governo também pretende triplicar a receita do turismo no período e quase dobrar o número de pessoas que viajam dentro do país e o de estrangeiros que visitam o Brasil.

Temos em mãos um instrumento que direciona políticas efetivas, orienta os gestores sobre as prioridades do setor e traz metas factíveis para o Brasil se tornar uma potência mundial no mercado de viagens”, afirmou o ministro do Turismo, Marx Beltrão, em comunicado à imprensa.

De acordo com o PNT, o aproveitamento do setor de turismo está ainda muito longe das potencialidades nacionais. Relatório do Fórum Econômico Mundial, de 2017, mostra que, entre 136 países, o Brasil é considerado o número um no quesito diversidade de recursos naturais, além de se destacar como 8º classificado no item recursos culturais. Apesar desta vantagem comparativa, o país está ainda muito atrás em parâmetros como ambiente de negócios (129º), priorização do setor (109º), segurança (106º), recursos humanos (93º) e abertura internacional (66º). Por causa de eventos internacionais como a Copa do Mundo Fifa 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, o Brasil melhorou sua infraestrutura aeroportuária e os serviços turísticos, que já figuram entre os 40 melhores do mundo, mas ainda é preciso mais, segundo o governo.

Só no ano passado, o turismo no planeta atraiu mais de 1,3 bilhão de pessoas, gerou 292 milhões de empregos e movimentou US$ 7,6 trilhões. Desse total, o Brasil recebeu menos de 0,6% dos viajantes e faturou apenas 0,4% do valor global movimentado pelo setor de viagens. Uma das metas é praticamente dobrar o número de visitantes estrangeiros, que até bateu recorde no ano passado, com 6,5 milhões de turistas, mas que pode atingir 12 milhões em 2022, de acordo com o PNT. Nesse sentido, medidas como o aumento da promoção internacional e do número de voos e a implantação de vistos eletrônicos para desburocratizar a vinda de estrangeiros para o país serão fundamentais para ampliar o número de turistas internacionais no Brasil, diz um trecho do plano.

A ideia é aumentar a receita gerada pelos visitantes estrangeiros de US$ 6,5 para US$ 19 bilhões em quatros anos. Para isso, uma das iniciativas é ampliar o número de eventos internacionais sediados no país, já que o turista de negócios gasta, em média, US$ 82,54 por dia, enquanto o turista de lazer desembolsa uma valor médio menor (US$ 61,41 por dia), segundo dados da Organização Mundial do Turismo (OMT). Em 2017, o Brasil foi o 15º país em número de eventos e convenções internacionais. Para o governo federal, esse desempenho pode ser ainda melhor.

Mercado interno

As viagens de brasileiros dentro do próprio país são a mola propulsora do turismo brasileiro, segundo o ministério. Esse volume representa 93,5% do PIB gerado pelo setor, enquanto as viagens internacionais contribuem com 6,5%. Apenas em 2016, foram realizadas mais de 200 milhões de viagens em território nacional.

Apesar dos números, menos de um terço da população (cerca de 60 milhões de pessoas), viaja pelo país. O PNT prevê ampliar esse volume em mais 40 milhões de viajantes domésticos. Para isso, uma das medidas previstas é o aumento da oferta de voos e rotas regionais e o estímulo à regionalização do turismo, algo pouco explorado.

Empregos

Segundo o PNT, o turismo impacta mais de cinquenta segmentos da economia, gerando emprego e renda, atualmente, para cerca de 7 milhões de pessoas. As principais geradoras de empregos diretos são as atividades relacionadas a hotelaria, agências de turismo, companhias aéreas, demais tipos de transportes de passageiros e turistas, além de restaurantes e empreendimentos de lazer.

Com o aumento das viagens domésticas e do número de turistas internacionais no país, o mercado de trabalho deverá se aquecer, segundo o governo, e chegar a 2022 com um aumento de 2 milhões de postos de trabalho no setor.

Edição: Denise Griesinger

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212