Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Comissão aprova requerimentos de audiências públicas para entender orçamento da intervenção no Rio - Jornal Brasil em Folhas
Comissão aprova requerimentos de audiências públicas para entender orçamento da intervenção no Rio


Um dos requerimentos prevê a realização de uma audiência pública com a participação de integrantes do Conselho de Supervisão do Regime de Recuperação Fiscal do estado e das secretarias de Segurança e de Fazenda. Os parlamentares também aprovaram pedidos de informações ao interventor, general Braga Netto, e ao ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann. Um dos esclarecimentos é sobre a diferença entre as operações de Garantia da Lei e da Ordem feitas nos últimos anos no estado do Rio e a intervenção atual. De acordo com o coordenador da comissão, deputado Hugo Leal (PSB-RJ), as informações repassadas até agora são insuficientes.

Eu costumo comparar assim: se fosse um projeto de engenharia, nós estaríamos com o projeto básico, mas precisamos do projeto executivo. Pra saber onde e como os recursos serão investidos e quais serão as ações. Passados 40 dias, a intervenção tem buscado consolidar e trazer algum foco, mas o ilícito, a marginalidade, continuam em operação.

Um exame feito pela comissão no orçamento do estado entre 2007 e 2017 mostra que a folha de pessoal da área de segurança pública aumentou de R$ 4 para R$ 8 bilhões de reais, enquanto os investimentos diminuíram de R$ 2 bilhões para R$ 1,5 bilhão no mesmo período. Além disso, segundo a relatora Laura Carneiro (DEM-RJ), os números informados pelas várias esferas de governo sobre os gastos com a intervenção são contraditórios.

Apenas os valores da Secretaria de Segurança estão afetos ao Orçamento da intervenção, mas o resto dos recursos, não. Então existem ações complementares. Como isso está funcionando? Como o estado está conversando com a intervenção do ponto de vista orçamentário?, questiona.

Além de aprovar os pedidos de informação, a comissão externa marcou reunião para a próxima terça-feira para discutir especificamente o orçamento da operação. Os deputados também querem se reunir novamente com o interventor para esclarecer as dúvidas sobre o planejamento estratégico. Outra reunião a ser agendada é com a Ordem dos Advogados do Brasil e outras entidades da sociedade civil.

A intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro foi decretada em 16 de fevereiro pelo presidente Michel Temer e aprovada pelo Congresso quatro dias depois. Foi nomeado um interventor que, até 31 de dezembro deste ano, tem sob seu controle as polícias civil e militar, o corpo de bombeiros e a administração penitenciária.

Reportagem – Cláudio Ferreira
Edição – Ana Chalub



 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212