Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Oct de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Piñera modifica protocolo de lei de aborto no Chile e gera polêmica - Jornal Brasil em Folhas
Piñera modifica protocolo de lei de aborto no Chile e gera polêmica


O governo do conservador Sebastián Piñera modificou o protocolo de aplicação da lei do aborto em três situações aprovada sob a administração de Michelle Bachelet, para facilitar que instituições privadas apelem à objeção de consciência e não pratiquem a interrupção da gravidez.

Através de um decreto emitido na sexta-feira - duas semanas após assumir o governo -, o Ministério da Saúde eliminou um artigo que fazia alusão aos convênios do Estado com instituições de saúde privadas para a realização de abortos em caso de estupro, risco de vida para a mãe e inviabilidade fetal.

O protocolo anterior rescindia os convênios pactuados entre o Estado e aquelas instituições privadas que apelaram à objeção de consciência para não praticar os abortos.

O novo protocolo reduz também os requisitos exigidos às instituições, ao excluir a necessidade de justificar com base em crenças, valores, ideários e a expressão da relação concreta entre aqueles e seus estatutos a decisão de objetar.

Para organizações feministas e autoridades do governo de Bachelet, que promulgou a lei de aborto terapêutico em setembro do ano passado, a nova regulação representa um boicote à normativa.

O novo protocolo para a aplicação da lei de aborto em três situações é um boicote ideológico e antidemocrático do governo atual, que busca por via administrativa frear uma lei que contou com apoio majoritário, criticou a deputada do Partido Comunista Karol Cariola.

Os padrões da lei estão sendo rebaixados, afirmou Claudia Pascual, ministra do Serviço Nacional da Mulher do governo de Bachelet que, com a promulgação desta normativa, tirou o Chile do pequeno grupo de países em que a interrupção da gravidez não é permitida em nenhum caso.

No entanto, para o atual ministro da Saúde, Emilio Santelices, esta mudança de protocolo busca corrigir uma distorção que o próprio regulamento introduzia ao estabelecer um vínculo (econômico) entre a atenção de qualquer índole e a objeção de consciência.

A lei de aborto aprovada no Parlamento chileno estabeleceu a objeção de consciência pessoal, mas o Tribunal Constitucional - após uma petição de revisão da norma por parte de legisladores conservadores - a ampliou a toda uma instituição.

 

Últimas Notícias

BNDES empresta R$ 30 milhões para empresa de água de Manaus
Comércio do Rio poderá contratar 10,3 mil temporários para o natal
Aneel aprova reajuste de tarifa a consumidores de GO e interior de SP
Petrobras e chinesa CNPC avançam em acordo para retomar Comperj
Aprovado pela Aneel, aumento nas contas de luz da CEB está suspenso
BNDES dá início a processo de privatização de companhia elétrica do AP
Dólar fecha em queda e Bovespa sobe 2,83%
Senado rejeita projeto sobre venda de distribuidoras da Eletrobras

MAIS NOTICIAS

 

Equipe de transição deve ser definida hoje à tarde, diz Caiado
 
 
ONS vai reforçar ações de segurança energética nas eleições e no Enem
 
 
Inflação medida pelo INPC sobe para 0,30% em setembro
 
 
Universidades particulares terão disciplina sobre primeira infância
 
 
Com Enem, horário de verão começa no dia 18 de novembro
 
 
Governo anuncia recursos de R$ 600 milhões para o ensino médio

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212