Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Jogos Olímpicos: ministra destaca preparo do país na questão sanitária - Jornal Brasil em Folhas
Jogos Olímpicos: ministra destaca preparo do país na questão sanitária


A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu, reconheceu hoje (11) que o ministério usou “rigor desnecessário e burocrático” para definir os critérios de entrada no país dos cavalos que vão participar de competições nos Jogos Olímpicos do Rio. A ministra disse, porém, que tudo foi resolvido e a situação na Federação Internacional de Hipismo, normalizada. A federação chegou a fazer críticas ao processo.

Segundo a ministra, a definição dos critérios foi demorada por causa da burocracia estatal, comum em vários países. Em visita ao Centro de Hipismo, ela destacou que, na comparação com outros países, o critério de segurança melhorou. Bastou a edição de uma instrução normativa para tudo ficar resolvido “sem perder o rigor e a excelência no trabalho”, acrescentou a ministra.

Para Kátia Abreu, essa experiência será o legado do Ministério da Agricultura após os Jogos Olímpicos. “Todo esse trabalho de biossegurança – o próprio Ministério da Agricultura cresceu com isso. Nossos fiscais federais aprenderam, nossos técnicos, até a ministra aprendeu um pouquinho sobre o assunto. Ao destacar que esse trabalho como legado para o Brasil, ela disse que todos os que vierem aos Jogos vão compreender o trabalho desenvolvido aqui e levar lá para fora a convicção de que o país está preparado na questão sanitária”.

A ministra enfatizou que o trabalho feito na área destinada às provas de hipismo e de permanência dos animais está de acordo com as exigências de biossegurança internacionais. Ela chamou a atenção para o fato de que, 15 meses antes da chegada dos cavalos, a área já estava livre de contaminação. “Tivemos tanto cuidado, que o que é recomendado pela organização internacional é em torno de seis meses a área livre, e nós vamos completar 15 meses até a chegada dos animais. Então, nós estamos absolutamente tranquilos.

O Brasil quer se tornar uma referência não só em período de Olimpíada, mas em outras provas que poderão surgir mundo afora. O Brasil quer ser lembrado por sua eficiência na questão sanitária, e nós estamos vendo também que, na estrutura física, estamos preparados para receber qualquer tipo de campeonato mundial”, acrescentou.

Kátia lembrou que a preparação começou há dois anos, com a limpeza da área, de onde foram retirados pequenos animais e eliminadas pragas e doenças para alcançar o vazio sanitário e declarar a área livre de doenças de equinos. Ela destacou a impotância de a Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) reconhecer o trabalho feito, os critérios adotados, todo o cronograma para implantar a área dessa forma. Estamos tranquilos, inclusive porque o foco de mormo,uma doença típica de equinos, também foi eliminado. Enfim, estamos prontos para receber os animais, os atletas, e o Brasil ser campeão.”

De acordo com a ministra, outro ponto é que o Brasil é um país tropical e um grande produtor de alimentos, por isso, tem a obrigação de ser grande na defesa agropecuária tanto na área animal quanto na área vegetal. “Como um país tropical, existe no Brasil a tendência de pragas e doenças proliferarem com muita rapidez. A defesa agropecuária brasileira, queremos transformá-la para ter reconhecimento nacional e também funcionar como uma escola para os demais países, no sentido de fazer alianças e parcerias para disseminar o nosso conhecimento.”

Cortes não afetaram defesa agropecuária

Ela ressaltou que a área de defesa agropecuária foi preservada, mesmo com os cortes feitos para o ajuste fiscal. Segundo a ministra, isso foi feito para dar ao Brasil e a todo o mundo a certeza de que a defesa agropecuária é papo sério para o Ministério da Agricultura. Nos investimentos referentes à Olimpíada, não houve restrição na parte que coube ao ministério, a de defesa agropecuária.

A ministra informou que, no ano passado, foram aplicados R$ 198 milhões em defesa agropecuária e que haverá aumento de 35%, o que significa um avanço nos programas. “Temos uma área de fronteira enorme no país. Precisamos estar atentos porque temos fronteiras em áreas sem floresta e sem água, fronteiras secas, livres e abertas. São 350 pontos na fronteira. Temos uma força nacional de defesa que criamos agora para casos de prevenção e risco iminente e estamos equipando nossos laboratórios aqui e lá fora. É importante ter todos esses instrumentos, porque defesa não é só olhar, não é só vigiar”,afirmou.
Rio de Janeiro - Competição de esgrima durante evento-teste para a Olimpíada de 2016, na Arena da Juventude (Cristina Indio do Brasil/Agência Brasil)

Lutas de esgrima movimentaram a Arena da Juventude nesta sexta-feira Cristina Indio do Brasil/Agência Brasil

Kátia Abreu foi hoje (11) aos centros de Hipismo e de Pentatlo Moderno no Complexo de Deodoro, na zona norte do Rio. fechando uma semana de visitas de ministros a equipamentos esportivos que serão palco de provas olímpicas. Segundo a ministra, esta foi uma orientação de governo para que os representantes das relacionadas aos Jogos tivessem mais proximidades com os gastos e o desenvolvimento dos projetos.

A ministra da Agricultura visitou também a Arena da Juventude, onde estavam ocorrendo competições de esgrima que fazem parte do evento-teste de Pentatlo Moderno.

 

Últimas Notícias

Centro está preparado para lançamento de foguete após acidente
Cidades brasileiras integram programa de preservação de florestas
MP denuncia ex-marido de corretora assassinada no Rio
Bolsonaro segue estável e internado no Hospital Albert Einstein
Goiás entra para a elite dos Estados mais competitivos do País
Petrobras eleva gasolina em 2 centavos; diesel permanece inalterado
MME faz consulta sobre planejamento da transmissão de energia elétrica
Inadimplência do consumidor subiu 3,63% em agosto

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212