Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Protestos por prisão de Puigdemont bloqueiam estradas na Catalunha - Jornal Brasil em Folhas
Protestos por prisão de Puigdemont bloqueiam estradas na Catalunha


A tropa de choque da Polícia interveio nesta terça-feira (27) para desobstruir uma estrada na Catalunha, bloqueada por militantes secessionistas que protestavam contra a prisão na Alemanha do ex-presidente independentista Carles Puigdemont, que pode ser extraditado à Espanha acusado de rebelião.

Os Mossos dEsquadra, a polícia regional catalã, tiveram que intervir ao meio-dia para retirar um bloqueio montado ao amanhecer na altura de Figueras, perto da fronteira francesa, por dezenas de manifestantes convocados pelos Comitês de Defesa da República (CDR).

A televisão regional divulgou ao vivo as imagens dos agentes antidistúrbios levando um a um os militantes desses comitês.

Durante o dia foram bloqueadas outras duas estradas e brevemente os acessos a Barcelona.

No início da noite, centenas de pessoas tentaram cercar a estação de trem de Sants, mas a polícia antidistúrbios voltou a impedir.

Na capital catalã, os confrontos mais graves entre manifestantes independentistas e agentes da polícia aconteceram na noite de domingo, horas depois de saberem da prisão de Puigdemont. Houve cerca de 100 feridos leves, entre eles 23 policiais.

- Ponto sem volta -

A CDR, que conta com milhares de militantes, anunciaram na segunda-feira uma campanha de protestos e disseram que a prisão de Puigdemont supôs um ponto sem volta para o secessionismo.

Puigdemont se encontra atualmente preso na cidade alemã de Neumünster.

Agora devem esperar a decisão do tribunal de Kiel (norte da Alemanha), que poderia entregá-lo à Justiça espanhola, que o acusa de rebelião e malversação por seu papel na tentativa separatista.

Em qualquer caso, Puigdemont não desistirá de continuar defendendo seus ideais apesar de todas as adversidades que estão sendo vividas nesses momentos, declarou nesta terça-feira seu advogado Jaume Alonso-Cuevillas depois de visitá-lo na prisão.

O presidente tem perfeitamente claro que é possível que isso se prolongue, mas temos uma grande confiança na Justiça europeia e na Justiça alemã, acrescentou. As autoridades alemãs têm 60 dias para decidir se o extraditam ou não.

Um porta-voz da Procuradoria alemã, Wiebke Hoffelner, se limitou a dizer que a decisão não será tomada esta semana.

A Justiça também terá que estabelecer se no Direito alemão existe crimes equivalentes ao que são imputados a Puigdemont, em particular o de rebelião, passível de até 30 anos de prisão na Espanha.

Outros 12 importantes independentistas são acusados de rebelião. No total, são 25 os dirigentes separatistas acusados.

Nove estão presos na Espanha e sete fugiram ao exterior, dos quais seis, incluindo Puigdemont, têm uma ordem europeia de prisão.

Clara Ponsati, ex-ministra regional de Educação de Puigdemont, que primeiro foi para Bruxelas e recentemente à Escócia, se entregará na quarta-feira à polícia escocesa, anunciou seu advogado Aamer Anwar nesta terça.

- Infrações muito concretas -

Steffen Seibert, porta-voz do governo da chanceler Angela Merkel, lembrou que a Espanha é um Estado de direito democrático e destacou a particular confiança entre as autoridades judiciais dos países-membros da UE.

Também recordou que, como Madri repete, Puigdemont não está sendo perseguido por ideais políticos, por ideais de independência, mas por infrações muito concretas.

Puigdemont foi detido no domingo por policiais de Schleswig-Holstein quando saía de carro da Dinamarca para ir à Bélgica. Era acompanhado por dois policiais catalães, contra os quais abriu investigações.

Na Bélgica, a Justiça pediu informações complementares a Madri sobre as ordens europeias de prisão emitidas contra os conselheiros que se instalaram com Puigdemont em Bruxelas - Meritxell Serret, Toni Comín e Lluís Puig.

 

Últimas Notícias

Bolsonaro terá uma série de reuniões na próxima semana em Brasília
Com pênalti controverso, Brasil vence Uruguai por um a zero
Brasil está preparado para substituir médicos cubanos, afirma Temer
Chega a quatro número de vítimas das chuvas em Belo Horizonte
Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23
Massoterapeuta Dani Bumbum deixa prisão no Rio
Cervejas terão rótulos com os ingredientes usados na fabricação
Temporal causa mortes e estragos em BH; adolescente está desaparecida

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212