Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Lula quis transformar Brasil num galinheiro, agora colhe ovos, diz Bolsonaro - Jornal Brasil em Folhas
Lula quis transformar Brasil num galinheiro, agora colhe ovos, diz Bolsonaro


O deputado e pré-candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL-RJ) chegou ao Paraná no fim da manhã desta quarta-feira (28). Foi recebido por uma multidão de apoiadores no saguão de desembarque do Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Carregado para o lado de fora do terminal, Bolsonaro falou do alto de um caminhão de som, vestindo uma espécie de faixa presidencial que ganhou de simpatizantes.

“Com todo respeito aos sargentos e coronéis, mas o Brasil vai ter um capitão eleito ano que vem”, disse o deputado. “Não adianta querer criar rótulos contra a minha pessoa, porque eles podem me chamar de tudo, menos de corrupto.”

No discurso, Bolsonaro defendeu que a Polícia Militar “atire para matar” em defesa do povo, e falou contra o desarmamento da população.

“Podem ter certeza, os nossos homens de segurança, quando cumprirem uma missão, serão condecorados e não mais processados. Eu quero uma Polícia Militar que, em defesa do povo, atire para matar”, disse. “E para o povo brasileiro nós queremos também o direito à legítima defesa. Sem história de desarmar vocês e deixar os vagabundos soltos muito bem armados por aí.”

Bolsonaro também fez referências aos ataques sofridos pela caravana do ex-presidente Lula – que será encerrada com um ato em Curitiba, na Praça Santos Andrade, a partir das 17 horas desta quarta.

“O Lula quis transformar o Brasil num galinheiro, agora esse crápula colhe ovos pelo Brasil todo”, disse Bolsonaro, em referência aos ataques sofridos pela caravana do ex-presidente. “Agora eles vão ver a direita. E podem ter certeza, vão levar um cruzado da direita em outubro”.


“Vamos mostrar que o Brasil é nosso. Nós somos a maioria. Vamos fazer valer a força da família e a força das polícias militares que vão ter retaguarda jurídica para trabalhar”, prosseguiu o pré-candidato. Em seguida, ele defendeu a impressão dos votos na eleição. “Não podemos aceitar eleições sem o voto impresso. Chega de fraude na política. Com o voto impresso, eles vão perder em primeiro turno.”

Na despedida do aeroporto, Bolsonaro mandou “um beijo nas mulheres e um abraço hetero nos homens”. O presidenciável não falou com a imprensa.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212