Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Abr de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Jihadista do Mali acusado de crimes de guerra é entregue ao TPI - Jornal Brasil em Folhas
Jihadista do Mali acusado de crimes de guerra é entregue ao TPI


Islamita rebelde ao norte de Tombuktu, Mali, em 24 de abril de 2012.

Um extremista islâmico do Mali acusado de cometer crimes contra a humanidade e crimes de guerra em 2012 e 2013 em Timbuktu foi entregue neste sábado ao Tribunal Penal Internacional (TPI).

O Sr. Al Hasan Ag Abdul Aziz Ag Mohamed Ag Mahmoud ( Al Hasan) foi entregue ao TPI pelas autoridades do Mali, onde é suspeito de ter cometido atos de tortura, estupro e assédio, indicou em comunicado o tribunal com sede em Haia.

Al Hasan chegou neste sábado à penitenciária do TPI, que na terça-feira emitiu um mandado de prisão contra ele por crimes cometidos durante o conflito armado que começou em janeiro de 2012 no Mali.

Al Hasan é acusado de ser responsável de crimes contra a humanidade, assédio por motivos religiosos ou sexista, estupro e escravidão sexual cometidos no contexto de casamentos forçados, tortura e outros atos desumanos, segundo a promotora do tribunal internacional, Fatou Bensouda.

O malinense de 41 anos foi supostamente membros do grupo Ansar Dine e comissário da polícia islâmica em Timbuktu. Acredita-se que participou na destruição dos mausoléus dos santos muçulmanos naquela cidade.

As acusações contra ele são um sinal da criminalidade e assédio sofridos pela população no Mali, disse Bensouda.

Em uma decisão histórica, o TPI condenou em 2016 a nove anos de prisão um primeiro jihadista malinense, Ahmad al Faqi al Mahdi, pela destruição dos mausoléus de Timbuktu em 2012, quando grupos extremistas tomaram o norte do Mali.

Essa decisão sem precedentes do único tribunal permanente que julga crimes de guerra no mundo foi então considerada uma advertência: a destruição do patrimônio mundial não ficaria impune.

Segundo o TPI, tribunal criado em 2002 para julgar os piores crimes perpetrados em todo o mundo, foi Al Mahdi quem liderou os ataques contra os mausoléus de Timbuktu, inscritos na lista de patrimônio mundial da Unesco.

Fundada entre os séculos V e XII por tribos tuaregues, Timbuktu é apelidada de a cidade dos 333 santos devido ao grande número de eruditos muçulmanos enterrados lá.

Seguindo as ordens de Al Mahdi, os jihadistas demoliram os santuários construídos há vários séculos com a ajuda de escavadeiras.

Após a condenação de Al Mahdi, o primeiro jihadista que se sentou no banco dos réus ​​do TPI, a prisão de outro jihadista malinense abre uma nova etapa.

A prisão de Al Hasan e sua transferência para o TPI enviam um sinal forte para todos aqueles que, onde quer que estejam, cometem crimes que prejudicam a consciência humana, declarou Bensouda.

Espero que [isso] convença Mali de nossa determinação em agir adequadamente e fazer tudo o que pudermos para responder ao sofrimento indescritível infligido à população do Mali, acrescentou.

 

Últimas Notícias

Ex-presidente do Peru tenta se matar ao receber ordem de prisão
Ex-presidente do Peru está em estado grave após tentativa de suicídio
Governo argentino lança pacote de medidas para combater inflação
PRF apreende no Rio 300 mil maços de cigarros contrabandeados
Famílias de baixa renda de Brumadinho recebem auxílio emergencial
Governo autoriza uso da Força Nacional para segurança na Esplanada
Chega a 18 número de mortos no desabamento no Rio de Janeiro
Fachin pede manifestação de Moraes sobre inquérito de fake news

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - EXPEDIENTE