Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


25 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 AIE: produção de petróleo de fora da Opep cairá mais do que o previsto - Jornal Brasil em Folhas
AIE: produção de petróleo de fora da Opep cairá mais do que o previsto


A produção de petróleo dos países não integrantes da Opep baixará em 2016 mais do que o previsto, afirmou nesta sexta-feira a Agência Internacional de Energia (AIE), advirtindo que, ainda assim, continuará o excesso de oferta.

Em seu relatório mensal, a AIE estima que a produção dos países não-membros do cartel baixará nesse ano em 750.000 barris diários (bd), em particular nos Estados Unidos, e não em 600.000 bd, como era estimado.

As exportações iranianas subiram em 300.000 bd desde o início do ano, um aumento mais modesto que o de 400.000 bd anunciado por Teerã, indica a AIE.

Segundo a agência representante dos interesses dos países consumidores, o retorno do Irã ao mercado, graças ao acordo sobre seu programa nuclear e à suspensão das sanções, foi menos expressiva do que o anunciado pelos iranianos.

Em fevereiro, estimamos que a produção aumentou em 220.000 bd e, até momento, parece que o retorno do Irã será progressivo, acrescenta.

Fevereiro foi o primeiro mês completo em que o Irã não se viu submetido às sanções internacionais, suspensas na metade do mês de janeiro, após o histórico acordo nuclear concluído em julho do ano passado entra a república islâmica e as grandes potências.

Na época, Teerã anunciou que pretendia aumentar sua produção imediatamente em 500.000 bd. No começo do mês, o ministro iraniano do Petróleo, Bijan Namadar Zanganeh, afirmou que as exportações do seu país haviam subido em 400.000 bd durante o mês iraniano de Bahman (21 de janeiro - 19 de fevereiro), para alcançar 1,75 mbd.

- Statu quo no mercado de petróleo -

Este retorno progressivo do Irã, que é membro da Opep, não mudará a situação do mercado petroleiro, pelo menos no primeiro semestre. O excedente de oferta alcançará 1,9 milhão de barris diários no primeiro trimestre e 1,5 mbd no segundo, segundo a AIE.

Será preciso aguardar a segunda metade do ano para que a diferença entre a oferta e a demanda caia significativamente.

Este reequilíbrio se deverá, segundo a agência, à esperada queda da produção nos países não membros da Opep. A queda será acentuada nos Estados Unidos, de aproximadamente 530.000 bd.

Em fevereiro, a produção mundial caiu em 180.000 barris diários para chegar a 96,5 milhões de barris diários, com uma redução da oferta dos países de dentro e de fora da Opep.

O aumento dos preços observado nas últimas semanas, e impulsionado pelas expectativas de um acordo internacional sobre a produção, não deve ser considerada como sinal definitivo de que necessariamente o pior já passou, alertou a AIE.

No entanto, o organismo afirma que elementos refletem que os preços já podem ter atingido seu ponto baixo.

 

Últimas Notícias

Empresários brasileiros apostam em alimentos e bebidas saudáveis
Temporal no RS deixa mais de 360 mil residências sem luz
Livro aborda mentiras contadas por presidentes do Brasil em 100 anos
Setor da cachaça lança manifesto contra carga tributária
Polícia busca PM sequestrado por criminosos na zona oeste do Rio
Bolsonaro passa bem e tem dreno retirado do abdome
PM encontra carro de policial sequestrado no Rio
Festival de Brasília termina hoje com entrega de premiações

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212