Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Para governo, situação econômica na Argentina é pior do que o esperado - Jornal Brasil em Folhas
Para governo, situação econômica na Argentina é pior do que o esperado


O estado da economia argentina era muito pior do que o esperado, com um déficit de quase sete pontos do PIB, afirmou o ministro da Fazenda do país, Alfonso Prat-Gay.

A situação era muito pior e isso porque a imaginávamos complexa, disse Prat-Gay, em uma entrevista ao jornal La Tercera de Santiago.

Ao assumir em dezembro, as novas autoridades se depararam, depois de oito anos de governo de Cristina Kirchner, com uma economia que não crescia há quatro anos, com uma inflação crônica entre 25% e 30%, sem aumento do emprego privado e economias regionais praticamente quebradas.

A isto se soma uma situação muito complexa de reservas internacionais, uma taxa de câmbio tremendamente atrasada, um sistema de estatísticas violado, o default com credores internos e externos e a lista é longa, descreveu o ministro argentino.

Em termos concretos, disse, o a situação foi de um déficit da ordem de sete pontos do PIB.

Para o ministro argentino todos os dados foram ocultados pelo governo Kirchner. Mais do que um mito, era uma mentira descarada através das estatísticas oficiais.

Consultado sobre quando o novo governo poderá ter um índice concreto de inflação, Prat-Gay disse que se espera uma primeira publicação para o próximo trimestre.

Na quinta-feira, ao participar em um seminário econômico em Santiago, o ministro disse que esperavam que a inflação na Argentina, que fechou 2015 com uma alta estimada de 30% ao ano, chegue a 1% ao mês no segundo semestre.

Muito provavelmente na segunda metade do ano vamos ter níveis de inflação de 1% ao mês, que já é mais compatível com a meta do ano seguinte de 12% ao ano, disse o ministro.

Em fevereiro, a inflação na Argentina ficou em torno de 4% segundo consultoras privadas, sem que até agora haja um registro oficial.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212