Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Uma hora a menos de pregão e mais mudanças no horário da Bovespa na semana que vem - Jornal Brasil em Folhas
Uma hora a menos de pregão e mais mudanças no horário da Bovespa na semana que vem


SÃO PAULO - O investidor que penou para se acostumar ao novo horário de negociação da Bovespa pode comemorar: a partir da semana que vem voltaremos ao velho período das 10h às 16h55 (horário de Brasília) para negociação de ações. Ou seja, teremos uma hora a menos de pregão à vista. Os contratos futuros de Ibovespa, por sua vez, operarão das 9h às 18h. Outra grande novidade é que voltaremos a ter after-market das 17h25 até às 18h.

A justificativa dada pela BM&F Bovespa para a mudança é que neste domingo começa o horário de verão nos Estados Unidos. A diferença entre o horário de Brasília e o de Nova York, então, passará a ser de uma hora. Como a Nyse abre às 9h30 lá, aqui será 10h30 a abertura dos EUA. Na prática, isso significa uma hora a menos de negociação aqui sem os mercados americanos estarem abertos, o que é bem relevante tendo em vista que o investidor estrangeiro responde por 50% do volume negociado na nossa Bolsa.

Para Daniel Ximenes Almeida, trader da Daycoval Investimentos, o mercado brasileiro abrindo quase junto com os EUA, fará com que a Bovespa acompanhe mais as bolsas internacionais desde o começo. O mercado abre lá fora e traz muito volume. Então vai ser melhor por isso e porque vai ter after. Até duas semanas atrás o mercado estava com muito pouca liquidez depois das 17h, explica.

Uma liquidez maior tem um efeito interessante que é diminuir a volatilidade. É fácil entender esta relação, basta pensar que com o volume mais baixo, um investidor com muito dinheiro pode fazer uma ação subir ou cair com muito mais facilidade do que em dias de volume mais alto.

Contudo, em última instância o que vai determinar a volatilidade maior ou menor como sempre será o noticiário.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212