Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


10 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Educação precoce atende 2,5 mil alunos por ano na rede pública - Jornal Brasil em Folhas
Educação precoce atende 2,5 mil alunos por ano na rede pública


Markus Schneider, de 5 meses, nasceu prematuro e passou por complicações depois do parto. Encaminhado por um pediatra, o bebê é um dos 215 alunos matriculados no Centro de Ensino Especial 2 de Brasília (612 Sul) para o programa de Educação Precoce.

Na rede pública do Distrito Federal, em média, o programa atende 2,5 mil estudantes por ano em 19 centros de ensino especial distribuídos pelas 14 coordenações regionais.

O programa é referência no País, já que Brasília é a única unidade federativa a oferecer o serviço como parte da grade de educação.

“Em outras, ele é vinculado às secretarias de Saúde. Aqui, além da estimulação, oferecemos acompanhamento educacional”, detalha a diretora de Educação Especial da rede, Claudia Madoz. Segundo ela, toda a demanda que chega é atendida.

Diferentemente do restante da rede, não há um momento específico para a matrícula. Ela pode ser feita durante todo o ano, a depender das vagas disponíveis.

Os responsáveis devem procurar uma regional de ensino, para o aluno ser encaminhado à escola, e levar a documentação necessária, como o atestado médico. Antes de ser inscrito, o estudante passa por uma avaliação.
Evolução motora e inclusão

Os olhinhos atentos no móbile e a cabeça seguindo os movimentos do brinquedo encantam Priscilla Torres, de 66 anos, a avó materna de Markus. “Ele não tinha tanta movimentação do pescoço e da mãozinha. Hoje, se mexe para todo o lado”, conta emocionada.

O programa atende crianças recém-nascidas e de até 4 anos de idade. A intenção é estimular o desenvolvimento integral, auxiliar em questões necessárias para potencializar as competências de cada uma delas e incluí-las na educação regular. Para isso, as atividades envolvem desde incentivos para que engatinhem até técnicas de interação.

Duas vezes por semana, Markus passa por cuidados como a shantala e outras massagens relaxantes. “Todo prematuro tem uma agitação motora forte, por isso são importantes essas técnicas para acalmá-lo”, explica a coordenadora da Educação Precoce no centro de ensino especial, Maria Renata Andrade.

Em outro caso, em uma sala adaptada com obstáculos, os profissionais incentivam as crianças a se locomoverem com independência — elas arrastam objetos, engatinham e caminham. Na piscina, o intuito é trabalhar a atenção e o autoconhecimento sobre o corpo.

A escola ainda conta com um parque e uma agrofloresta, onde, além de se acalmarem, os alunos aprendem sobre o meio ambiente e o respeito a outros seres vivos.

Também são atendidos bebês com algum tipo de síndrome ou com atraso neuropsicomotor e que passam por investigação para diagnóstico de autismo.

Principais parceiros da educação precoce, os responsáveis pelas crianças se envolvem em grande parte das atividades. Os pais acompanham o atendimento dos filhos até que completem 2 anos ou em algum caso de adaptação. Até os 6 meses, o nenê tem duas aulas por semana: uma com um pedagogo e outra com um professor de educação física.

Depois dos 6 meses, essa quantidade dobra para dois encontros semanais com cada profissional. Após os 2 anos, quando estão mais independentes, os alunos passam a integrar grupos, e as reuniões ocorrem de duas a três vezes por semana, com horários variados.

Independentemente da idade dos filhos, é necessário que os pais permaneçam na escola durante todo o período de atividade, mesmo que não possam estar na aula. Isso porque a presença deles pode ser solicitada em alguma etapa do processo de desenvolvimento.

Edição: Raquel Flores

 

Últimas Notícias

Petrobras demite funcionários com prisão decretada na Lava Jato
Porto de Santos movimenta 110 milhões de toneladas de carga em 2018
Alimentos da cesta básica estão mais caros em 16 capitais brasileiras
Vendas internas de veículos novos têm melhor resultado desde 2015
BNDES lança programa para atender startups
Mercosul e UE retomam negociação com expectativa de acordo até março
Poupança tem menor captação para meses de novembro em três anos
Toma posse diretoria da nova Agência Reguladora de Mineração

MAIS NOTICIAS

 

Moro reafirma “confiança pessoal” em Onyx
 
 
Após discussão, votação do Escola sem Partido em comissão é suspensa
 
 
Senado aprova projeto que congela distribuição de recursos do FPM
 
 
Crediário e cartão são os maiores responsáveis pela inadimplência
 
 
Balança comercial tem segundo melhor superávit para meses de novembro
 
 
Enel anuncia R$ 3,1 bi em distribuição de energia em São Paulo

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212