Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


10 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Demanda interna por bens industriais tem queda de 1,6% em fevereiro, diz Ipea - Jornal Brasil em Folhas
Demanda interna por bens industriais tem queda de 1,6% em fevereiro, diz Ipea


A demanda por bens industriais no Brasil teve queda de 1,6% entre janeiro e fevereiro deste ano, de acordo com o indicador mensal de Consumo Aparente (CA) de Bens Industriais divulgado hoje (6) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

O indicador mede, em termos gerais, os bens industriais que permaneceram no país, sendo ofertados tanto no varejo quanto atacado e também usados como insumos para a produção de outros bens. O cálculo inclui tanto aquilo que foi produzido pelo Brasil e não foi exportado quanto o que foi importado pelo país.

Os dados divulgados hoje mostram que ambos os componentes do indicador recuaram no mês. A produção doméstica líquida de exportações, ou seja, o que foi produzido e ficou no mercado interno, recuou 1,2%. Já as importações de bens industriais caíram 2,8%.

A queda foi puxada principalmente pelos alimentos, que tiveram uma redução de 4,4% em relação a janeiro. Os produtos de fumo e os serviços de impressão e reprodução de gravações também recuaram 6,9% e 13,4%, respectivamente.

No geral, o estudo mostra que houve crescimento em 11 dos 22 segmentos da indústria de transformação analisados. Os que mais contribuíram foram os segmentos de químicos, com alta de 5,8%, e de máquinas e equipamentos, com expansão de 2,6%.

Para o coordenador da pesquisa, Leonardo Carvalho, a queda registrada em fevereiro foi pontual e não indica uma interrupção na recuperação econômica verificada até o momento. Às vezes, ocorrem pequenas quedas pontuais, mas o importante é ter sempre o cuidado de analisar a tendência desse indicador. Até agora, a tendência é de crescimento, apesar de ter um mês ou outro com queda, disse.

Crescimento no ano

Apesar da variação mensal ser negativa, quando considerada a variação trimestral, verifica-se um aumento de 1,2% no consumo de bens industriais. A variação considerando o período de um ano também é positiva, de 4,5%. O patamar anual é inclusive superior ao verificado em fevereiro de 2017.

De acordo com o Ipea, tomando por base o resultado acumulado em 12 meses, a demanda por bens industriais, que teve um aumento de 4,1%, segue registrando ritmo de crescimento mais intenso que o apresentado pela produção doméstica, que aumentou 2,9%, de acordo com a Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na avaliação do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, isso é um sinal de que a atividade industrial está aquecida e que a economia está demandando tanto os bens industriais produzidos no país quanto os bens importados”.

Edição: Augusto Queiroz

 

Últimas Notícias

Petrobras demite funcionários com prisão decretada na Lava Jato
Porto de Santos movimenta 110 milhões de toneladas de carga em 2018
Alimentos da cesta básica estão mais caros em 16 capitais brasileiras
Vendas internas de veículos novos têm melhor resultado desde 2015
BNDES lança programa para atender startups
Mercosul e UE retomam negociação com expectativa de acordo até março
Poupança tem menor captação para meses de novembro em três anos
Toma posse diretoria da nova Agência Reguladora de Mineração

MAIS NOTICIAS

 

Moro reafirma “confiança pessoal” em Onyx
 
 
Após discussão, votação do Escola sem Partido em comissão é suspensa
 
 
Senado aprova projeto que congela distribuição de recursos do FPM
 
 
Crediário e cartão são os maiores responsáveis pela inadimplência
 
 
Balança comercial tem segundo melhor superávit para meses de novembro
 
 
Enel anuncia R$ 3,1 bi em distribuição de energia em São Paulo

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212