Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Gleisi diz que Polícia Federal deu meia hora para Lula deixar sindicato - Jornal Brasil em Folhas
Gleisi diz que Polícia Federal deu meia hora para Lula deixar sindicato


Impedido por uma multidão de apoiadores, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tentou deixar a sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), por volta das 17h30. Ele chegou a entrar em um carro com o advogado Cristiano Zanin, mas o veículo foi cercado por centenas de pessoas que impediram o veículo de sair. Desde então, integrantes do PT negociam com os manifestantes a saída do ex-presidente.

Por volta das 18h, a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), pediu à multidão que liberasse a saída do ex-presidente. “Eu, mais do que ninguém aqui, queria que o Lula ficasse livre. Agora, não depende da nossa vontade”, disse ela ao microfone. Segundo a senadora, a Polícia Federal deu prazo de meia hora para que o ex-presidente deixe o local.

Ao microfone, ela disse que a decisão seria tomada de forma conjunta, mas que o fato de Lula não se apresentar aos policiais pode resultar em consequências jurídicas para Lula, como a prisão preventiva, que impediria Lula de conseguir um habeas corpus. “Tenho que dividir isso com vocês. Vocês precisam saber o que vai acontecer”, disse ela, ao microfone.

“Eu quero a liberdade de Lula. Mas tenho que acumular força na luta. A Polícia Federal nos deu meia hora para resolvermos. Se não resolvermos, é Lula o responsabilizado”, disse ela.

João Paulo Rodrigues, do MST, também subiu no caminhão, alertando que outro problema seria o fato de que o secretário de segurança de São Paulo, Magino Barbosa, de enviar a tropa de choque para o local, o que, segundo ele, poderia causar tumulto e violência.

Ao pedir a colaboração de todos, Gleisi chegou a dizer que é Lula “quem vai sofrer as consequências” se não se entregar à Polícia Federal (PF).

Além de Gleisi e Boulos, o presidente estadual do PT em São Paulo, Luiz Marinho, e o ex-ministro Gilberto Carvalho também fizeram apelos à multidão.

Segundo João Paulo, da coordenação nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), o ex-presidente vai se apresentar aos policiais. A posição política do presidente Lula é de se apresentar à Polícia Federal neste momento, afirmou.

Lula está na sede do sindicato desde quinta-feira (5) à noite, quando foi expedida a ordem de prisão pelo juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância. De mãos dadas, os manifestantes cercaram o prédio do sindicato. Helicópteros sobrevoam o prédio.

Edição: Nádia Franco

 

Últimas Notícias

Saúde libera recursos para atender moradores da região de Brumadinho
Justiça determina prisão preventiva de acusado de espancar paisagista
Irmão de mulher espancada diz que ainda está chocado com a violência
Flamengo pede mais prazo para decidir sobre indenização de vítimas
Profissionais que atuaram em Brumadinho serão monitorados
Auditores descobrem 158 Kg de cocaína na fronteira com a Bolívia
Governo determina medidas de precaução para barragens em todo o país
Bolsonaro irá ao Congresso entregar texto da reforma da Previdência

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212