Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Temer diz que aproveita impopularidade para adotar medidas de interesse do país - Jornal Brasil em Folhas
Temer diz que aproveita impopularidade para adotar medidas de interesse do país


O presidente Michel Temer relativizou a importância da popularidade durante seu período na Presidência da República. Ele repetiu o que já falara em discursos anteriores sobre ter aproveitado a impopularidade de seu governo para fazer o que julga necessário para o país. E acrescentou que, às vezes, fazer o que o povo quer “leva à crucificação de Cristo”.

“Eu fiz, aproveitando a impopularidade. Muitas vezes o que o povo quer leva à crucificação de Cristo, que depois foi santificado. [Ou seja,] Leva a movimentos autoritários que nós desprezamos”. Temer citou a importância do diálogo do governo com o Congresso. Disse que governa junto com os parlamentares que, segundo ele, são os representantes da sociedade no processo de governança.

Temer discursou durante o 3° Simpósio Nacional de Varejo e Shopping, em Foz do Iguaçu (PR). Em sua fala, ele disse também da importância do respeito à Constituição e afirmou que tomar decisões com base nas aspirações populares é “desorganização”.

“Muitas vezes as pessoas dizem essa história de cumprir a ordem jurídica é relativa, o que nós precisamos é verificar quais são as aspirações populares e decidir de acordo. E isso é a maior revelação de desorganização”, disse. “E quando nós temos uma Constituinte para constituir uma sociedade, é para fixar regras para que o povo participante possa saber quais são as regras do jogo”, completou.

Como tem sido hábito em seus discursos, o presidente resgata vários atos de seu governo. Dentre eles, a fixação de um teto de gastos públicos e as reformas do ensino médio a trabalhista. Lembra ainda da queda da inflação e da taxa básica de juros, ambas durante o seu governo.

Temer também disse que espera, até o fim do mandato, dar andamento às reformas que ainda não concluiu. Ele ressaltou que a reforma da Previdência, apesar de ter esfriado no Congresso, continua na pauta política, uma vez que o déficit da Previdência persiste.

Para o presidente, os candidatos ao Planalto deverão debater soluções para isso na campanha eleitoral deste ano. Ele também afirmou que tentará pautar a reforma tributária antes do fim do ano. “Espero poder concluir o governo com isso [resolvido]. Se não aprovado, pelo menos muito bem encaminhado”.

Após o evento, Temer foi para São Paulo. Segundo a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto, o presidente cumpre agenda privada. Amanhã (8), está prevista uma reunião em Brasília, tendo como pauta a reforma ministerial, provocada pelo prazo de desincompatibilização de cargos públicos, que entra em sua reta final.

Edição: Aécio Amado

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212