Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Presídio de Mariana amplia vagas utilizando mão de obra prisional nas construções - Jornal Brasil em Folhas
Presídio de Mariana amplia vagas utilizando mão de obra prisional nas construções


O Presídio de Mariana, localizado na região Central do estado, comemora o aumento de 20% da capacidade da unidade após o término das obras de ampliação, previstas para o próximo mês. A unidade prisional, que atualmente tem capacidade para atender 108 presos, passará a contar com 129 vagas.

Além da ampliação com a construção de novas celas, o presídio ganhou uma nova fachada com a obra de uma muralha, em substituição à grade que dava acesso à entrada principal da unidade. O muro que circunda a unidade também foi aumentado, ampliando a segurança do presídio e impedindo a visibilidade para o interior da unidade.

E quem coloca a mão na massa para mudar a estrutura da unidade são os próprios presos. Ao todo, 17 detentos do Presídio de Mariana trabalham: sete dentro da própria unidade, em atividades diversas, e outros dez em uma parceria com a prefeitura municipal nos setores de limpeza urbana, manutenção elétrica e transportes.

Cláudio Paulo Margarida, de 61 anos, é um deles. Ele trabalha há oito meses como mecânico no setor de transporte da prefeitura e é responsável pela manutenção de veículos oficiais do município. Em dois meses ganhará a liberdade e os dias de trabalho ajudam este tempo a passar mais rápido.

“Esta é uma excelente oportunidade para o preso, pois além de ocupar de forma construtiva o tempo, é possível ainda aprender sempre algo novo e ser útil para a comunidade”, diz Cláudio.

O diretor-geral do presídio, Antônio de Pádua Pataro Dutra Júnior, acredita que apesar das dificuldades orçamentárias, as parcerias contribuem substancialmente para a melhoria da unidade.

“As obras são possíveis graças à participação de comerciantes locais, apoio da prefeitura do município, igrejas e da comunidade de Mariana, que entende a importância do trabalho de ressocialização e segurança que estamos desenvolvendo”, ressalta Pataro.

O diretor conta que uma das soluções criativas encontradas foi a de reforçar a área da carceragem com trilhos de ferro doados pela Vale do Rio Doce.

De detento a estudante e empreendedor

José Crispim de Oliveira, 52 anos, cumpriu pena no Presídio de Mariana. Ele é um exemplo de força de vontade na busca da reintegração social. Enquanto ainda estava preso participou em 2016 do Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade, o Enem PPL, e, graças à nota alta que obteve em redação, foi aprovado no curso de Serviço Social da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP).

Atualmente ele está no terceiro período do curso e é grato pela oportunidade de estudar dentro da unidade prisional. “Graças ao trabalho sério desenvolvido pelos técnicos da Seap, à atenção dos professores e às oportunidades oferecidas pela direção do presídio eu consegui uma nota alta no exame, o que possibilitou meu ingresso em um curso superior na primeira chamada”, conta.

Além de universitário, ele também se tornou empreendedor. Após o cumprimento da pena José Crispim começou a produzir blocos de cimento para a construção civil. A surpresa vem com a atitude do ex-detento, que agora doa blocos para as reformas da unidade na qual esteve acautelado.

“Vejo a importância de ajudar doando blocos de construção para as obras realizadas no Presídio de Mariana, na medida em que a contribuição mantém um grupo maior de presos em atividades laborais, e é uma forma de reconhecimento pelo trabalho lá realizado”, finaliza Crispim.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212