Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Roubos são reduzidos em 27% na RISP de Tangará da Serra - Jornal Brasil em Folhas
Roubos são reduzidos em 27% na RISP de Tangará da Serra


No primeiro bimestre deste ano, a Região Integrada de Segurança Pública (Risp) de Tangará da Serra, no médio-norte do estado, conseguiu reduzir os casos de roubo (quando há ameaça ou violência à vítima) em 27% e os de furto (sem ameaça ou violência) em 16%, com relação ao mesmo período do ano passado. De acordo com dados da Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), foram 107 ocorrências de roubos em 2018 e 140 em 2017, e 421 de furtos este ano contra 504 no ano anterior.

No caso de homicídios dolosos, o número de janeiro e fevereiro deste ano se manteve igual ao registrado no ano passado: sete. Além de Tangará, integram a Risp os municípios de Brasnorte, Campo Novo do Parecis, Sapezal, Barra do Bugres, Denise, Nova Olímpia e Porto Estrela. Já comparando o período de janeiro a dezembro dos anos de 2017 e 2016, este crime teve redução de 2%, com 57 e 58 casos ocorridos, respectivamente.

A região foi contemplada com melhorias importantes na área de segurança pública, como a instalação da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, em Tangará da Serra (239 km a Médio-Norte de Cuiabá), em 2015, em imóvel cedido pelo Ministério Público. Criada recentemente por meio da Lei nº.10.286, a unidade atende mulheres, crianças e idosos. Com isso, o atendimento ficou mais humanizado e desafogou o fluxo do Centro Integrado de Segurança e Cidadania (CISC).

Segundo o delegado-regional da Polícia Judiciária Civil (PJC), Alexandre Morais Franco, também contribuíram para as reduções de roubos e furtos a ação qualificada contra grupos criminosos. “E também fortalecemos, por meio da integração entre as forças de segurança, o combate ao tráfico de drogas, o que reflete diretamente na queda da criminalidade”.

Além disso, desde 2017 o Grupo Armado de Resposta Rápida (Garra) está em operação na região, com 18 profissionais treinados em ações imediatas, patrulhamento rural, patrulhamento urbano, rastreamento, entre outras. O Garra é uma unidade operacional da PJC, vinculada a Gerência de Operações Especiais (GOE), da Diretoria de Atividades Especiais.

O trabalho cooperativo entre as instituições, com foco na redução de violência, também foi destacado pelo coronel Heverton Mourett de Oliveira, responsável pelo 7º Comando Regional da Polícia Militar (PM-MT). “Estamos em campo desenvolvendo ações importantes, operações de prevenção, especialmente nos ambientes noturnos, e com patrulhamentos comerciais, bancários, rurais, escolares e as rondas nas áreas de risco potencial”.

De acordo com ele, este tipo de ação é fundamental para a redução da criminalidade, pois o contato com a população possibilita troca de informações que auxiliam no monitoramento de suspeitos e modo de atuação criminosa. “Nos últimos anos, recebemos novos policiais militares e a regional também teve a frota de veículos renovada, o que contribui para o sucesso do trabalho”, acrescentou.



 

Últimas Notícias

Chega a 73 o número de mortos em explosão no México; feridos somam 74
Forte terremoto de magnitude 6,7 atinge o Chile
Mais de 150 imigrantes se afogam no Mar Mediterrâneo
Brasil e Europa vão ser interligados por novo cabo submarino
Acordo para mudar nome da Macedônia gera protestos em Atenas
Ghosn está disposto a aceitar qualquer condição para obter fiança
Bombeiros buscam pessoa desaparecida depois de tromba dágua no Rio
Mega-Sena acumula de novo e pode pagar R$ 38 milhões na quarta-feira

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212