Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Produção industrial chinesa desacelera em janeiro e fevereiro - Jornal Brasil em Folhas
Produção industrial chinesa desacelera em janeiro e fevereiro


A produção industrial chinesa cresceu em janeiro e fevereiro no ritmo mais fraco em mais de sete anos, acusando o excesso de capacidade e uma demanda fraca, segundo dados oficiais divulgados neste sábado.

A produção industrial da segunda maior economia do mundo aumentou 5,4% interanual acumulado nos meses de janeiro e fevereiro, menos do que em dezembro (5,9%), segundo o Departamento Nacional de Estatísticas.

Este é o ritmo de progressão mais fraco desde novembro de 2008 e o início da crise financeira mundial. Analistas consultados pela agência Bloomberg esperavam um aumento médio de 5,6%.

A demanda internacional não para de diminuir, como mostrou a queda de 25% nas exportações chinesas no mês passado. Já a demanda interna segue minada pelo estancamento dos investimentos em habitação e as seguidas contrações da atividade manufatureira.

A consequência deste quadro é o agravamento incessante do excesso de capacidade produtiva da indústria chinesa, do cimento ao aço, passando pelo carvão.

As vendas no varejo, termômetro do gasto nos lares chineses, também desacelerou nos dois primeiros meses do ano. O aumento foi de 10,2% interanual, o nível mais baixo em 10 meses, indicou o departamento.

As vendas no varejo, no entanto, se mantêm em um nível robusto, o que mostra que os esforços do governo para centralizar a economia no consumo interno estão dando resultado.

O objetivo estratégico de Pequim é estimular o consumo interno, os serviços, as novas tecnologias e as exportações de alto valor agregado, em detrimento da indústria pesada e das exportações, tradicionais motores do crescimento chinês, hoje com sinais de esgotamento.

Os investimentos em capital fixo, que incluem os gastos em infraestrutura, subiram 10,2% interanual nos dois primeiros meses do ano, segundo os dados divulgados hoje. Uma aceleração significativa, após um aumento de 10% no conjunto de 2015.

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212