Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


13 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Brasil diz na ONU que migrações representam riqueza e diversidade - Jornal Brasil em Folhas
Brasil diz na ONU que migrações representam riqueza e diversidade


O representante brasileiro na 51ª. sessão da Comissão sobre População e Desenvolvimento das Nações Unidas, realizada nesta segunda-feira (9) na sede da ONU em Nova York, defendeu o acolhimento a migrantes como um fator promotor de riqueza e diversidade. A reunião, que analisa as tendências de crescimento populacional e desenvolvimento em todo o mundo, além de integração, deve terminar na sexta-feira. A informação é da ONU News;

Em seu discurso sob o tema Cidades Sustentáveis, Mobilidade Humana e Migração Internacional, o secretário especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Hussein Kalout, destacou que o Brasil “tem uma matriz social composta por uma lógica migratória que abarca diversos imigrantes de todos os lugares do mundo. Essa é a nossa força. É a força da nossa nação. É característica do Brasil a integração e a coesão, e o respeito às diferenças e aos direitos humanos”
Brasília - Roseann Kennedy entrevista o secretário Especial de Assuntos Estratégicos, Hussein Kalout

O secretário Especial de Assuntos Estratégicos, Hussein Kalout, em entrevista a Roseann Kennedy na TV Brasil TV Brasil/Arquivo

Segundo Kalout, em depoimento à ONU News, “a mensagem do Estado brasileiro nesta conferência, é pela tolerância e pelo respeito às diferenças. Sobretudo no que diz respeito ao problema imigratório. Em muitos países isso é visto como um problema, enquanto nós (Brasil) vimos isso como uma das fortalezas do nosso desenvolvimento socioeconômico”.

Ele destacou que, recentemente, o governo brasileiro apresentou uma das mais modernas legislações sobre migrantes, oferecendo aos mesmos inúmeros direitos que em outros países não são tão flexíveis. Como o acesso à saúde, acesso à educação e a bens. “Na nossa percepção o imigrante não pode ser tratado de uma forma discriminatória. Por essas razões a nossa mensagem é sobretudo num mundo, cada vez mais globalizado, tratar essa temática com mais humanismo em conformidade com as leis internacionais,” falou.

Ecosoc

A Comissão sobre População das Nações Unidas foi estabelecida pelo Conselho Econômico e Social da ONU (Ecosoc) em outubro de 1946. Em 1994, a Assembleia Geral decidiu que o nome deveria mudar para Comissão sobre População e Desenvolvimento.

Edição: Augusto Queiroz

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212