Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Jun de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Dyogo Oliveira assume presidência do BNDES e defende reinvenção do banco - Jornal Brasil em Folhas
Dyogo Oliveira assume presidência do BNDES e defende reinvenção do banco


Ao tomar posse nesta segunda-feira (9), o novo presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Dyogo Oliveira, destacou os resultados obtidos com as reformas econômicas promovidas pelo governo. O ex-ministro do Planejamento, disse que é preciso reinventar o BNDES, dando mais corpo e velocidade às mudanças feitas últimas duas gestões.

Vamos reinventar o BNDES, para que continue a ser o que sempre foi, o maior promotor do desenvolvimento do Brasil, afirmou Dyogo Oliveira. Ele prometeu que o BNDES tratará quem bate à sua porta, não como beneficiário, e sim como cliente, que merece ser recebido e atendido com rapidez e eficiência.

Dyogo Oliveira defendeu a atuação do banco em áreas em que não há recursos de financiamento disponíveis e ressaltou que a instituição deve atuar, não como um competidor no mercado, mas um parceiro. Na era do juro baixo, o BNDES será diferente. Não será nem maior, nem menor. Será diferente, será mais importante, disse ele, que também defendeu a proatividade na elaboração de projetos.

O ex-ministro do Planejamento abriu o discurso destacando a recuperação da economia, lembrando que o governo teve início em um cenário de inflação alta, juros altos, desemprego e descrédito internacional. Recebemos um país no fundo do poço, no fundo do poço mais fundo, onde o Brasil nunca tinha estado. A maior e mais prolongada crise da nossa história, afirmou Dyogo, destacando que o país entra agora em um ciclo de crescimento que deve durar de oito a 12 anos pelo menos.

Ao tomar posse, em cerimônia na sede do banco, no Rio de Janeiro, Dyogo Oliveira, que foi ministro durante 23 meses, agradeceu a confiança do presidente MIchel Temer, e homenageou parentes. Além do presidente Temer, participaram da solenidade o ministro Carlos Marun, da Secretaria de Governo, e os interinos da Fazenda, Eduardo Guardia, do Planejamento, Esteves Colnago, do Esporte, Fernando Avelino, e do Trabalho, Helton Yomura. O ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles também assistiu à cerimônia, assim como o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, e o senador Romero Jucá (MDB).

Novo tempo

Ao deixar a presidência do BNDES, o economista Paulo Rabello de Castro disse que a instituição vive um novo tempo, depois de de ter enfrentado a falta de apoio da opinião pública, acusações e duas comissões parlamentares de inquérito (CPIs) no ano passado. Ele destacou também a recuperação da economia do país.

Repito, sem preocupação de errar, que ao BNDES se deve tudo que de bom, mais produtivo e sustentável ocorreu na trajetória do nosso progresso social nos últimos 60 anos, afirmou Rabello. Ele pediu à diretoria do BNDES que recepcione com fé e entusiasmo o novo presidente.

O ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que o crescimento da demanda por bens de capital por parte das empresas, e por bens duráveis por parte das famílias, sinaliza mais confiança na economia brasileira. Vivemos agora um ciclo longo de crescimento, em vez de um ciclo como o do passado que era criado por bolhas de consumo, afirmou Meirelles. Ele defendeu as reformas promovidas pelo governo como uma mudança de direção na economia brasileira. A extensão das mudanças é imensa. O impacto dessas medidas ainda não foi totalmente avaliado e percebido, mas ficará explícito com o passar do tempo.

Rabello de Castro e Meirelles deixaram os cargos na última semana para cumprir o prazo de desincompatibilização (seis meses) necessário para disputar as eleições de outubro.

Edição: Nádia Franco

 

Últimas Notícias

Caged: 33 mil novos empregos formais foram criados em maio
BNDES libera R$ 508 milhões para melhorias em aeroporto de Confins
Dólar sobe 1% depois de altas e baixas durante o dia
Banco Central mantém juros básicos da economia em 6,5% ao ano
STF tem quatro votos contra restrição a programas de humor em eleições
Agropecuária puxa geração de empregos formais em maio
Manutenção da Selic em 6,5% já era esperada pelo setor empresarial
Disputa entre China e EUA pode afetar exportações do Brasil, diz MDIC

MAIS NOTICIAS

 

Pelo grupo do Brasil, Sérvia vence Costa Rica
 
 
Justiça Federal aceita 24ª denúncia contra ex-governador Sérgio Cabral
 
 
Copa do Mundo altera rotina de comissões e de visitas no Congresso
 
 
Carioca ainda aguarda estreia do Brasil para entrar no clima da Copa
 
 
Torcida acredita em vitória do Brasil, mas sem muita euforia
 
 
Neymar afirma que não tem medo de sonhar grande

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212