Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


12 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Ex-senadora Piedad Córdoba deixa corrida presidencial na Colômbia - Jornal Brasil em Folhas
Ex-senadora Piedad Córdoba deixa corrida presidencial na Colômbia


A ex-senadora de esquerda Piedad Córdoba, relegada nas pesquisas de intenção de voto, renunciou nesta segunda-feira à sua candidatura para as eleições presidenciais de 27 de maio na Colômbia.

Após a decisão da ex-senadora, resta somente uma mulher na corrida para a presidência, a legisladora Vivian Morales, que tampouco aparece nas pesquisas.

Córdoba desistiu da candidatura para dedicar-se, segundo ela, ao objetivo de consolidar a paz no país, após o acordo que levou ao desarmamento e transformação no partido das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Minha retirada da corrida eleitoral não pressupõe de modo algum a retirada da política, garantiu a ex-parlamentar em um ato público em Bogotá.

Com sua decisão, resta apenas uma mulher na corrida, a legisladora evangélica Viviane Morales, que tampouco aparece nas pesquisas.

Córdoba desistiu de sua campanha, queixando-se da exclusão e censura que enfrentou durante sua atividade política por não ter sido convidada aos debates televisivos com outros candidatos.

Os colombianos, que nunca tiveram uma mulher presidente, nem um governo de esquerda, estão divididos entre a candidatura conservadora de Iván Duque - o escolhido do ex-presidente Álvaro Uribe - e a do ex-guerrilheiro Gustavo Petro, segundo pesquisas de opinião.

Com 63 anos e ligada ao governo venezuelano, Córdoba apoiou ativamente o processo de paz com o agora partido da FARC (Força Alternativa Revolucionária do Comum) e em sua época foi inabilitada politicamente por seus supostos vínculos com a ex-guerrilha.

No entanto, a Justiça tornou sem efeito a decisão da Procuradoria - o organismo encarregado de sancionar os funcionários públicos na Colômbia -, após o que Córdoba se lançou à Presidência.

A Colômbia elegerá em 27 de maio o sucessor do presidente, Juan Manuel Santos, mas se nenhum candidato obtiver mais de 50% dos votos, haverá segundo turno em junho.

 

Últimas Notícias

Jornalista e radialista Laerte Junior morre aos 52 anos
Prazo para consolidar dívidas do Refis começa nesta segunda
Novo crediário para cartão é estudado para 2019, diz Febraban
Receita libera hoje consulta a sétimo lote de restituição do IR 2018
Intenção de investimentos da indústria cresce 4,4 pontos
Mercado reduz estimativa de inflação pela sétima vez
Demanda por bens industriais cresce 0,3% em outubro
Anatel apreende mais de 126 mil produtos não certificados

MAIS NOTICIAS

 

Novo crediário para cartão é estudado para 2019, diz Febraban
 
 
Demanda por bens industriais cresce 0,3% em outubro
 
 
Diálogo Brasil debate projeto Escola sem Partido
 
 
Brasileiro é eleito para Associação Internacional de Seguridade Social
 
 
Polícia e MP de Goiás vão apurar denúncias contra médium João de Deus
 
 
ONG homenageia policiais militares mortos no estado do Rio

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212