Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 A Eletrobras não capitalizada é a manifestação do atraso, diz Moreira Franco - Jornal Brasil em Folhas
A Eletrobras não capitalizada é a manifestação do atraso, diz Moreira Franco


O novo ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, afirmou nesta quarta-feira (11) acreditar que o Congresso Nacional haverá de entender a necessidade de privatização da Eletrobras. A declaração foi dada durante a cerimônia de transmissão de cargo, até então ocupado pelo deputado federal Fernando Coelho Filho (DEM-PE), e que contou com a participação de outros ministros, como Eduardo Guardia (Fazenda), Eliseu Padilha (Casa Civil), Raul Jungmann (Segurança Pública) e Esteves Colnago (Planejamento). O Congresso analisa o projeto de lei que trata da privatização.

Moreira Franco revelou que o presidente Michel Temer deverá publicar, já nesta quinta-feira (12), o decreto que inclui a Eletrobras no Plano Nacional de Desestatização, uma pré-condição para que a privatização da estatal.

A Eletrobras não capitalizada é a manifestação do atraso, de problemas que se apresentarão no futuro e da negligência com o dinheiro dos brasileiros, disse em discurso para uma plateia composta também pelo novo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Dyogo Oliveira, e pelo próprio presidente do grupo Eletrobras, Wilson Ferreira Júnior, que continuará no cargo, além de dezenas de funcionários do ministério e de associações e representantes de empresas dos setores de óleo e gás, mineral e elétrico.

Moreira Franco disse que recebeu a missão do presidente Michel Temer para dar continuidade à atual política econômica, focada em valores como previsibilidade e segurança jurídica e criticou o que chamou de deformação ideológica que teria marcado a gestão do setor nos anos anteriores ao atual governo. Ele prometeu avançar na aprovação dos marcos legais do setor elétrico e também da mineração, que tramitam no Congresso Nacional.

Equipe

Em pronunciamento, Moreira Franco anunciou os principais nomes de sua equipe. No lugar de Paulo Pedrosa, que era o secretário-executivo da pasta até a semana passada, assume Márcio Félix, que ocupava a Secretaria de Óleo e Gás. Para esta secretaria, foi indicado João Vicente de Carvalho Vieira, que ocupava uma das principais diretorias também da área de petróleo e gás do ministério. Na Secretaria de Geologia e Mineração da pasta, Moreira decidiu manter Vicente Lôbo. O mesmo vai ocorrer na Secretaria de Energia Elétrica, com a permanência de Fábio Lopes Alves. Seus secretários agora são meus secretários, afirmou Moreira ao agora ex-ministro Fernando Coelho Filho, que deixou o cargo para concorrer às eleições deste ano.

Edição: Carolina Pimentel

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212