Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 MP do Acre recomenda veto a projeto municipal que cria Estatuto da Família - Jornal Brasil em Folhas
MP do Acre recomenda veto a projeto municipal que cria Estatuto da Família


Um projeto de lei aprovado no início deste mês pela Câmara Municipal de Rio Branco foi contestado nesta quarta-feira (11) pelo Ministério Público do Estado do Acre. Os promotores recomendaram à prefeita de Rio Branco, Socorro Neri, o veto ao projeto que cria o Estatuto da Família.

Segundo a análise do MP, o texto apresentaria diversas inconstitucionalidades. Entre elas estaria a própria definição de família que consta no projeto. De acordo com o Ministério Público, além de não reconhecer casais homoafetivos, o estatuto exclui qualquer outro tipo de família, como mães solteiras que criam filhos sozinhas e avós que criam netos. Com isso, boa parte da população estaria excluída de políticas públicas que levam em conta a constituição familiar e os responsáveis por crianças e adolescentes.

Entidades do movimento LGBTI protestaram contra a aprovação do estatuto na Câmara dos Vereadores e também defendem o veto. Se o projeto não for vetado pela prefeita de Rio Branco, o Ministério Público estuda a possibilidade de entrar com uma ação direta de inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF).

O presidente da Câmara Municipal de Rio Branco, Manuel Marcos, defende a constitucionalidade do projeto de lei que cria o Estatuto a Família, mas diz que vai aguardar a decisão da prefeita sobre a sanção ou veto para tomar qualquer providência. Manuel, que é pastor da Igreja Universal do Reino de Deus, é favorável ao texto.

“Nós não vamos entrar em mérito se o Ministério Público está certo ou se nós estamos errados. Tem um parecer da nossa procuradoria pela legalidade do projeto. Por isso foi para votação”, defendeu.

O relator do projeto de lei, vereador Roberto Duarte, afirma que ainda não tomou ciência da recomendação do Ministério Público. O parlamentar, que também é advogado, diz que o projeto tramitou em todas as instâncias devidas e os pareceres apresentados atestaram a legalidade e a constitucionalidade do texto.

A prefeitura de Rio Branco foi procurada para comentar a recomendação do Ministério Público, mas não retornou até a publicação desta reportagem. Socorro Neri está à frente da prefeitura há uma semana, desde que o então prefeito Marcus Alexandre se licenciou para concorrer às eleições de 2018.

Edição: Amanda Cieglinski

 

Últimas Notícias

Sul e Sudeste se unem e formam consórcio para ações conjuntas
Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
Feiras em São Paulo oferecem oportunidades de intercâmbio no exterior
Treze de 16 docentes relataram casos de agressão na escola de Suzano

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212