Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Apr de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Produtores de coco brasileiros pedem proteção do governo - Jornal Brasil em Folhas
Produtores de coco brasileiros pedem proteção do governo


Pela primeira vez, cerca de 40 produtores de coco de todo o Brasil se reuniram na semana passada com representantes do Ministério da Agricultura para exigir medidas para proteger a indústria nacional.

Sofremos da concorrência desleal dos mercados asiáticos. Algumas fábricas de água de coco compram água lá, produzida em condições sanitárias e trabalhistas duvidosas, e desidratam antes de importar, explicou à AFP Fernando Florence, vice-presidente do Sindicato Nacional de Produtores de Coco do Brasil (Sindcoco).

Uma vez no Brasil, eles reidratam com água, adicionam açúcar e vendem um néctar de coco. O resultado disso é que os consumidores pensam que estão bebendo água de coco 100% natural, o que não é o caso. As fábricas fazem uma concorrência com o resto da indústria nacional e pedem menos coco para os produtores nacionais, acrescenta.

Os pequenos operadores representam 75% dos produtores brasileiros de coco.

Em 2012, a marca brasileira Ducoco e a empresa americana PepsiCo, dona da marca líder do mercado, a Kero Coco, foram apontadas por importar sua matéria-prima da Ásia.

As plantações asiáticas são dominadas por coqueiros-gigantes, usados para produzir cocos secos, que dão o óleo.

A água dos coqueiros-gigantes é pouco consumida e seu preço é muito inferior ao da água de coco verde, de melhor qualidade.

As importações não param de aumentar. Não queremos impedir entrada de produtos, mas queremos que os países asiáticos tenham as mesmas regras que no Brasil, em relação às normas trabalhistas e regras sanitárias, aponta o vice-presidente da Sindcoco.

Os produtores brasileiros também estão preocupados com doenças asiáticas nas plantações. Todos pensam na chamada vassoura-de-bruxa, que atingiu duramente os cacaueiros do país e causou o declínio da produção nacional de cacau.

Apesar da lista de encomendas repleta até 2020, Antonio Barbosa, diretor da Tecnococo, uma das duas empresas brasileiras produtoras de híbridos de semente de coco, cruzando entre coqueiros anões e gigantes, está preocupado.

Queremos importar pólen do coqueiro-gigante do México para fazer um coqueiro híbrido ainda mais resistente às pragas. Já achamos parceiros interessados porém, por enquanto, estamos bloqueados com a burocracia do Estado brasileiro.

 

Últimas Notícias

Felipe Fraga e Marcos Gomes colocam Cimed Racing no top-10
Time Correios Brasil é convocado para Sul-Americano 14 anos
José Eliton e Gilberto Marques fortalecem parceria entre Executivo e Judiciário
Jurista Joaquim Falcão é eleito para a ABL
PL que prevê fiscalização conjunta em operações bancárias é aprovado
Conselho de Ética da Câmara arquiva processo contra Érika Kokay
Dia do Índio é marcado por apelos no Senado
Decreto autoriza estudos para privatização da Eletrobras

MAIS NOTICIAS

 

Miguel Díaz-Canel se prepara para substituir Raúl Castro em Cuba
 
 
Dividido, Conselho de Segurança da ONU buscará convergência em fazenda sueca
 
 
Piloto que pousou avião de emergência virou heroína nos EUA
 
 
TRF4 nega a Lula último recurso em segunda instância
 
 
Polícia faz busca e apreensão na Porsche e na Audi por Dieselgate
 
 
Aviões americanos ainda podem sobrevoar a Rússia, diz Moscou

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212