Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Procon-PB aborda direitos de deficientes visuais durante seminário em João Pessoa - Jornal Brasil em Folhas
Procon-PB aborda direitos de deficientes visuais durante seminário em João Pessoa


A Autarquia de Proteção e Defesa do Consumidor do Estado da Paraíba (Procon-PB) participou, nessa segunda-feira (9), de um debate sobre os direitos de consumidores com deficiência visual. Entre os temas que foram abordados estão a acessibilidade e o Sistema Braille. Além do Procon-PB, o evento, realizado em João Pessoa, reuniu várias instituições, a exemplo do Ministério Público Estadual (MP-PB) e da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Na ocasião, a superintendente do Procon-PB, Késsia Liliana, falou das fiscalizações em estabelecimentos bancários e em restaurantes, que devem oferecer o cardápio em Braille. Késsia abordou, ainda, a Lei Estadual 9.420, que obriga as empresas prestadoras de serviços como energia elétrica e telefonia confeccionarem o demonstrativo de consumo em Braille para atender consumidores com deficiência visual. “Paralelamente às ações que competem ao Procon-PB, é muito importante que o consumidor também solicite o serviço em Braille na empresa prestadora”, alertou.

A superintendente do Procon-PB destacou, ainda, que o Braille é uma ferramenta central de leitura, e que as empresas devem ficar atentas no sentido de fornecerem esse processo de inclusão. “Atualmente, temos livros em Braille, em empresas de cosméticos e até joalherias. Isso reforça ainda mais a necessidade e a obrigação das empresas de oferecerem seus serviços também em Braille, promovendo a inclusão”, disse, destacando o exemplo do Jornal A União, que tem versões em Braille.

Durante o debate, Késsia Liliana explicou também que até as lan-houses devem oferecer serviço adaptado para deficientes visuais. “São constantes as reclamações de estudantes com deficiência visual sobre a não oferta desse serviço por parte desses estabelecimentos. Uma lan-house que tem cinco computadores, por exemplo, um deverá ser adaptado para deficientes visuais”, disse. “Em caso de dez computadores, por exemplo, deverá ainda haver uma impressora e papel apropriado para impressão em Braille”, prosseguiu.

A superintendente do Procon-PB ressaltou que o órgão irá fiscalizar todas as lan-houses para que os estabelecimentos cumpram a lei. “A população também pode colaborar com as nossas fiscalizações, ligando para o telefone 151”, concluiu.

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212