Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Vereadores criticam falta de serviço funerário municipal - Jornal Brasil em Folhas
Vereadores criticam falta de serviço funerário municipal


O vereador Edílson Ferreira (MDB), durante sessão ordinária desta quarta-feira, 11, trouxe à tona um grave problema que vem atingindo grande parcela da população mais carente de Aparecida de Goiânia, a dificuldade de arcar com os serviços funerários de seus familiares.

"Como uma família que vive com salário mínimo vai dar conta de adquirir o caixão e embalsamar seu ente querido? Nós estamos aqui pra lutar por essa classe que é menos favorecida." questionou Edilson.

Sobre o problema, o vereador Araújo (PPS) explicou que o serviço funerário social em Aparecida é feito de forma privada. Segundo ele, o município, atualmente, por uma questão legal, não presta serviços como transporte, fornecimento de caixões, dentre outros.

“A prefeitura funciona apenas como central de óbito, que repassa o trabalho funerário ao particular, em um esquema de rodizio, de cinco solicitações pra cada”, explicou Araújo, que ainda propôs a formação de comissão de vereadores para buscar embasamento legal, com intuito de acelerar uma lei de assistência social que realmente possibilite a prefeitura disponibilizar serviços como o de funerária publica, o que hoje não é possível.

Para o vereador Isaac Martins (PR), Araújo tem razão ao apontar a falta de uma lei de assistência social como um dos entraves das atividades sociais da prefeitura.

“Hoje a secretaria de assistência social está engessada. Existe vários serviços que a pasta tem interesse em disponibilizar, mas é legalmente impedida. Ainda, infelizmente, essa obrigação social de oferecer serviço funerário foi repassada ao empresário e este, por sua vez, muitas vezes não está disposto a realizar o trabalho”, lamentou o vereador.

A ideia de formar uma comissão pra tratar da elaboração de uma lei de assistência social, em parceria com a prefeitura, foi bem aceita pelos demais vereadores presentes, que decidiram reunir-se com a secretária municipal de assistência social, Mayara Mendanha, para iniciar os debates sobre o tema.

Em tempo, o vereador Araújo lembrou que hoje a central funerária está ligada a pasta de regulação urbana. Entretanto, o vereador Mazinho (SD) sugeriu que comissão, quando formada, proponha que qualquer serviço funerário volte à cargo da secretaria de assistência social.

 

Últimas Notícias

Sul e Sudeste se unem e formam consórcio para ações conjuntas
Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
Feiras em São Paulo oferecem oportunidades de intercâmbio no exterior
Treze de 16 docentes relataram casos de agressão na escola de Suzano

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212