Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Apr de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Veja quem são os dissidentes que mataram equipe de jornal do Equador - Jornal Brasil em Folhas
Veja quem são os dissidentes que mataram equipe de jornal do Equador


Os dissidentes colombianos que, segundo as autoridades, sequestraram e mataram dois jornalistas e um motorista do jornal El Comercio, do Equador, se rebelaram contra o processo de paz com as Farc e agora são 1.200 combatentes espalhados em vários grupos.

Sem um comando unificado, os dissidentes foram considerados desertores pelas já dissolvidas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

A divisão ocorreu meses antes de o agora partido de esquerda assinar, em novembro de 2016, o acordo que levou ao desarmamento de 7.000 combatentes.

Algumas destas dissidências se mantiveram hostis não só ao acordo de paz, mas aos líderes da antiga guerrilha. Foram catalogados como traidores e em alguns casos declararam objetivo militar, destacou à AFP o senador Iván Cepeda, que assessorou as negociações de paz de Havana.

Liderados por comandos medianos da antiga guerrilha, os dissidentes eram neste momento de 500 a 700 homens e mulheres bem armados operando principalmente em oito dos 32 departamentos (estados) da Colômbia.

Mas em um ano e meio, este exército disperso que lucra com o narcotráfico e a mineração ilegal passou a ter 1.200 combatentes, segundo o general Alberto Mejía, comandante das Forças Militares.

Na opinião de Ariel Ávila, analista da Fundação Paz e Reconciliação, os dissidentes estão distribuídos em 15 grupos, três deles muito grandes nos departamentos de Guaviare (sul), Meta (leste) e Nariño (fronteiriço com o Equador).

Por trás do sequestro e do assassinato da equipe do jornal El Comercio estão precisamente os dissidentes dirigidos por Walter Patricio Artízala Vernaza, conhecido como Guacho, de origem equatoriana, segundo a Inteligência colombiana.

Não nos amparamos no processo de paz não porque não estivéssemos de acordo, mas porque houve uma desigualdade nos guerrilheiros médios e na tropa, disse Guacho em entrevista à emissora de televisão RCN.

- O terror da fronteira -

Negro e magro, Guacho militou por 15 anos nas Farc.

Durante este tempo, este homem que não passa dos 35 anos se especializou em explosivos, narcotráfico e finanças, e agora se movimenta entre os dois lados da fronteira com seu grupo de 70 a 80 homens denominado Oliver Sinisterra.

O grupo de Guacho é de 80 pessoas no máximo, mas conhecem o território, move-se muito na fronteira e levou com ele a base social que era das Farc, camponeses cocaleros [plantadores de coca], então é um grupo que pode crescer rapidamente, disse Ávila à AFP.

As autoridades também o responsabilizam por vários ataques com explosivos que deixaram às escuras Tumaco, um povoado fronteiriço com 200.000 habitantes, que concentra o maior número de narcocultivos do mundo.

Do lado equatoriano seria o autor de uma ofensiva incomum contra a força pública, que deixou quatro mortos e dezenas de feridos desde o começo do ano.

Hoje, Guacho é o homem mais procurado tanto na Colômbia quanto no Equador.

Após anunciar ao seu país o assassinato da equipe de jornalistas, o presidente Lenin Moreno anunciou uma recompensa milionária para detê-lo.

Incluímos o narcoterrorista conhecido como Guacho na lista dos mais procurados do Equador e oferecemos uma recompensa de cem mil dólares por informação que leve à sua captura no Equador ou na Colômbia, afirmou.

Enquanto é perseguido, Guacho se financia com a droga que envia para os Estados Unidos em aliança com as máfias mexicanas através da rota do Pacífico.

O governo de Juan Manuel Santos mobilizou no começo do ano 9.000 efetivos militares para tentar recuperar Tumaco, uma zona de domicílio da antiga guerrilha e que agora é disputada por vários grupos armados.

A Colômbia é o principal plantador mundial de folha de coca, matéria-prima da cocaína, e também o maior produtor desta droga, segundo a ONU.

 

Últimas Notícias

Ampliar saque do PIS/Pasep está dentro de projeção, diz Dyogo Oliveira
Conab é autorizada a vender milho e a comprar arroz
FMI deve elevar projeção de PIB ainda este ano, diz BC
Índice de expansão do comércio cresce 1,6% em São Paulo este mês
Países nórdicos promovem debate sobre igualdade de gênero no Brasil
Juiz intima primo de Macri e ex-ministros de Cristina Kirchner
MPRJ quer impedir nomeação de indicados por Pezão para Agetransp
Seca de 1932 levou à criação de campos de concentração no Ceará

MAIS NOTICIAS

 

Felipe Fraga e Marcos Gomes colocam Cimed Racing no top-10
 
 
Time Correios Brasil é convocado para Sul-Americano 14 anos
 
 
Protestos contra reforma da previdência deixam pelo menos dois mortos na Nicarágua
 
 
Confronto entre palestinos e soldados israelenses deixa dois mortos
 
 
Raúl Castro sai, mas o castrismo permanece com Díaz-Canel em Cuba
 
 
MP abrirá inquérito contra Alckmin por suspeita de caixa dois

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212