Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Apr de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Temer diz ser “difícil” dizer que a Venezuela atualmente seja uma democracia - Jornal Brasil em Folhas
Temer diz ser “difícil” dizer que a Venezuela atualmente seja uma democracia


O presidente Michel Temer criticou a forma como o governo venezuelano conduz o país e disse ser “difícil” afirmar que exista uma democracia na Venezuela. Em entrevista ao canal CNN em Espanhol, Temer foi perguntado sobre a situação política no país vizinho. O presidente frisou que a relação entre os dois povos é fraterna, mas ao comparar a democracia brasileira com a forma de governar praticada por Nicolás Maduro, foi crítico.

“Nosso sistema é democrático participativo, onde todas as instituições funcionam, inclusive a oposição. E aí temos uma observação, e até oposição, à forma como está sendo conduzida a Venezuela. Eu diria é difícil dizer que é uma democracia. Sem dúvida alguma”, disse. “O número de refugiados venezuelanos no Brasil passam de 50 mil. Na Colômbia são 300 a 400 mil. A situação da Venezuela é bastante preocupante”, completou.

Apesar disso, declarações incisivas não têm sido comuns na viagem de Temer a Lima, por ocasião da 8ª Cúpula das Américas. As respostas do presidente têm sido bastante prudentes. Ele desembarcou na capital peruana no início da tarde e deu duas entrevistas à imprensa. Em ambas, desviou-se de assuntos polêmicos, como a situação de amigos dele na justiça e a corrida presidencial.

“São meus amigos há muito tempo. Eu não dou meu palpite sobre a ação da Justiça, não é? Porque a coisa que eu mais prezo é a não invasão de competências”, disse, quando perguntado sobre o pedido do Ministério Público – negado pela Justiça – de prisão de José Yunes e o coronel João Baptista Lima Filho, ambos ex-assessores seus.

Essa resposta foi dada após reunião com presidente da Câmara de Comércio dos Estados Unidos da América. Temer disse que seu governo vai avaliar a proposta dos Estados Unidos de fixar cotas para importação do aço. Sem dar pistas, apenas respondeu que conversará com a equipe do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio antes de se manifestar a respeito.

Questionado, o presidente também se manteve afastado da corrida presidencial. “Vamos deixar correr. Nós temos até junho, julho, não é? É, julho, para decidir isso. Vamos dar tempo ao tempo”.

Trump e Bolsonaro

A outra entrevista foi para o canal de notícias espanhol. Perguntado sobre sua opinião a respeito do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, Temer pregou o respeito. “Ele pode ter controvérsias, mas temos que respeitar”. O mesmo disse a respeito do deputado federal, Jair Bolsonaro, pré-candidato à presidência da República.

“Temos que respeitar o pensamento das pessoas. Certamente ele [Bolsonaro] representa uma parte do pensamento do país. Temos que combater esses pensamentos no período eleitoral”, disse, acrescentando que seu estilo é somar as várias forças e não separá-las. “Nossa ideia é a pacificação”, completou.

Edição: Davi Oliveira

 

Últimas Notícias

Homem com sinais de embriaguez provoca acidente em Taquarana
Kate Middleton dá entrada em hospital de Londres em trabalho de parto
Três taxistas são encontrados mortos após saírem de festa
Jovem de 21 anos é executado com tiro na cabeça na região metropolitana
Mudanças na reforma trabalhista expiram hoje, veja como fica a lei
Médicos fazem autópsia de cientista palestino assassinado em Kuala Lumpur
Atentado a centro eleitoral em Cabul deixa quase 60 mortos
Social-democratas alemãs elegem primeira mulher à frente do partido

MAIS NOTICIAS

 

Felipe Fraga e Marcos Gomes colocam Cimed Racing no top-10
 
 
Time Correios Brasil é convocado para Sul-Americano 14 anos
 
 
Protestos contra reforma da previdência deixam pelo menos dois mortos na Nicarágua
 
 
Confronto entre palestinos e soldados israelenses deixa dois mortos
 
 
Raúl Castro sai, mas o castrismo permanece com Díaz-Canel em Cuba
 
 
MP abrirá inquérito contra Alckmin por suspeita de caixa dois

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212