Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Um Apple Watch detectou o problema de tireoide desta mulher - Jornal Brasil em Folhas
Um Apple Watch detectou o problema de tireoide desta mulher


Heather Hendershot estava vendo TV com o marido à noite, quando seu novo Apple Watch começou a apitar. O relógio avisava que seu ritmo cardíaco estava em torno de 120 batimentos por minuto – algo acima do normal para uma garota de 25 anos que não está fazendo nada, disse ela ao The Topeka Capital-Journal.

O relógio continuou apitando de 10 em 10 minutos, avisando a Heather que algo estava errado. No início, ela pensou que o relógio estava apenas desregulado, mas quando decidiu verificar os seus batimentos cardíacos, viu que o relógio estava certo.

De acordo com o relógio, o batimento cardíaco dela chegou a 160 batidas por minuto naquela noite. Então, no dia seguinte, Heather e seu marido apavorado foram a um posto de saúde. “Eu achei que estava ficando doente e que meu corpo estava apenas lutando contra uma infecção, mas meu marido é a preocupação em pessoa”, disse ela.

Ela foi encaminhada para um pronto-socorro, onde exames de sangue revelaram que Heather sofria de hipertireoidismo de moderado a grave, algo que acontece quando sua tireoide (uma pequena glândula em forma de borboleta na parte da frente do pescoço) envia grandes quantidades de um hormônio chamado tiroxina para a corrente sanguínea.

De acordo com o NHS (Sistema de Saúde Nacional do Reino Unido), o hipertireoidismo pode afetar qualquer pessoa, mas é aproximadamente 10 vezes mais comum em mulheres do que em homens, e normalmente começa a causar problemas entre 20 e 40 anos de idade.

A condição pode acelerar o metabolismo da pessoa e causar perda súbita de peso, batimentos cardíacos irregulares, sudorese, nervosismo ou irritabilidade.

Por que será que Heather nunca notou nenhum desses sintomas antes? Até mesmo seu médico disse ao The Topeka Capital-Journal que seu caso era extraordinário.

“Minha reação foi sorrir para ela e fazer uma pausa. Perguntei a ela duas vezes no início e uma terceira vez depois: “Espere um minuto, você não sentiu nada?”, disse o endocrinologista Alan Wynne. “Trabalho com isso há 25 anos e é a primeira vez que escuto alguém dizer que nunca notou nada e depois foi diagnosticado com hipertireoidismo grave.”

Heather agora diz ser muito grata a seu Apple Watch. “Se eu não o estivesse usando, não saberia que havia algo errado”, disse ela.

Korin Miller

 

Últimas Notícias

Sul e Sudeste se unem e formam consórcio para ações conjuntas
Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
Feiras em São Paulo oferecem oportunidades de intercâmbio no exterior
Treze de 16 docentes relataram casos de agressão na escola de Suzano

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212