Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Jun de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Um Apple Watch detectou o problema de tireoide desta mulher - Jornal Brasil em Folhas
Um Apple Watch detectou o problema de tireoide desta mulher


Heather Hendershot estava vendo TV com o marido à noite, quando seu novo Apple Watch começou a apitar. O relógio avisava que seu ritmo cardíaco estava em torno de 120 batimentos por minuto – algo acima do normal para uma garota de 25 anos que não está fazendo nada, disse ela ao The Topeka Capital-Journal.

O relógio continuou apitando de 10 em 10 minutos, avisando a Heather que algo estava errado. No início, ela pensou que o relógio estava apenas desregulado, mas quando decidiu verificar os seus batimentos cardíacos, viu que o relógio estava certo.

De acordo com o relógio, o batimento cardíaco dela chegou a 160 batidas por minuto naquela noite. Então, no dia seguinte, Heather e seu marido apavorado foram a um posto de saúde. “Eu achei que estava ficando doente e que meu corpo estava apenas lutando contra uma infecção, mas meu marido é a preocupação em pessoa”, disse ela.

Ela foi encaminhada para um pronto-socorro, onde exames de sangue revelaram que Heather sofria de hipertireoidismo de moderado a grave, algo que acontece quando sua tireoide (uma pequena glândula em forma de borboleta na parte da frente do pescoço) envia grandes quantidades de um hormônio chamado tiroxina para a corrente sanguínea.

De acordo com o NHS (Sistema de Saúde Nacional do Reino Unido), o hipertireoidismo pode afetar qualquer pessoa, mas é aproximadamente 10 vezes mais comum em mulheres do que em homens, e normalmente começa a causar problemas entre 20 e 40 anos de idade.

A condição pode acelerar o metabolismo da pessoa e causar perda súbita de peso, batimentos cardíacos irregulares, sudorese, nervosismo ou irritabilidade.

Por que será que Heather nunca notou nenhum desses sintomas antes? Até mesmo seu médico disse ao The Topeka Capital-Journal que seu caso era extraordinário.

“Minha reação foi sorrir para ela e fazer uma pausa. Perguntei a ela duas vezes no início e uma terceira vez depois: “Espere um minuto, você não sentiu nada?”, disse o endocrinologista Alan Wynne. “Trabalho com isso há 25 anos e é a primeira vez que escuto alguém dizer que nunca notou nada e depois foi diagnosticado com hipertireoidismo grave.”

Heather agora diz ser muito grata a seu Apple Watch. “Se eu não o estivesse usando, não saberia que havia algo errado”, disse ela.

Korin Miller

 

Últimas Notícias

Temer participa da Cúpula do Mercosul em Assunção
Mais de 400 pessoas recebem atendimentos médicos especializados em ação da Saúde
Gustavo Mendanha prestigia posse da nova diretoria da Fecomércio-GO
Mesmo com redução da Selic, juros do crédito caem em ritmo lento
Cai percentual de estudantes que querem ser professores, diz OCDE
Colombianos vão às urnas para escolher novo presidente
Mega-Sena acumula e pagará R$ 35 milhões; veja as dezenas sorteadas
Pelo grupo do Brasil, Sérvia vence Costa Rica

MAIS NOTICIAS

 

Pelo grupo do Brasil, Sérvia vence Costa Rica
 
 
Justiça Federal aceita 24ª denúncia contra ex-governador Sérgio Cabral
 
 
Copa do Mundo altera rotina de comissões e de visitas no Congresso
 
 
Carioca ainda aguarda estreia do Brasil para entrar no clima da Copa
 
 
Torcida acredita em vitória do Brasil, mas sem muita euforia
 
 
Neymar afirma que não tem medo de sonhar grande

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212