Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Última homenagem a Winnie Mandela, polêmico ícone da luta contra o apartheid - Jornal Brasil em Folhas
Última homenagem a Winnie Mandela, polêmico ícone da luta contra o apartheid


Milhares de pessoas aclamaram neste sábado (14) o caixão com o corpo de Winnie Mandela, polêmico ícone da luta contra o apartheid na África do Sul, no funeral nacional organizados no township de Soweto.

A cerimônia, realizada em um lotado estádio de Orlando, encerra os 10 dias de luto nacional decretado em memória da ex-esposa de Nelson Mandela, que é chamada de Rocha, Mãe da Nação, a libertadora e a heroína, falecida em 2 de abril, aos 81 anos, após uma longa doença.

Foi minha mãe que manteve viva a memória do meu pai, Nelson Mandela, durante seus 27 anos de prisão antes de se tornar o presidente da África do Sul, em 1994, recordou sua filha mais velha, Zenani Mandela-Dlamini, entre os aplausos do público.

Ela que manteve seu nome na boca das pessoas, que levou seu coração às pessoas, disse, diante do caixão coberto pela bandeira sul-africana e colocado no centro do estádio.

Escoltado por motoristas, o caixão da Mama Winnie havia abandonou neste sábado pela manhã sua casa em Soweto, o bairro pobre de Johannesburgo ao qual foi fiel durante a vida toda.

Na chegada ao estádio de Orlando, a alguns quilômetros de distância, o caixão foi recebido por milhares de pessoas que, com o punho em riste, entoaram uma canção de luta: Não há ninguém como Winnie Mandela.

Foi um de nossos melhores soldados. Lutou desde o início até o final. Vá em paz, Mama, disse o espectador Brian Magqaza, de 53 anos.

Vários líderes estrangeiros, entre eles os chefes de Estado congolês, Denis Sassou Nguesso, e namibiano, Hage Geingob, compareceram à cerimônia, na qual o presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, pronunciou um discurso fúnebre no qual qualificou Winnie de muralha contra o apartheid.

Personalidades como Jesse Jackson, emblemático militante dos direitos civis nos Estados Unidos, também assistiram ao funeral. Winnie Mandela nunca parou de lutar, disse na sexta-feira o pastor, de 76 anos.

Após as cerimônias oficiais, Winnie Mandela será enterrada neste sábado à tarde no cemitério de Fourways, um bairro residencial de Johannesburgo, junto com uma de suas netas, falecida em 2010.

Também estava entre os presentes a modelo britânica Naomi Campbell.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212