Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Última homenagem a Winnie Mandela, polêmico ícone da luta contra o apartheid - Jornal Brasil em Folhas
Última homenagem a Winnie Mandela, polêmico ícone da luta contra o apartheid


Milhares de pessoas aclamaram neste sábado (14) o caixão com o corpo de Winnie Mandela, polêmico ícone da luta contra o apartheid na África do Sul, no funeral nacional organizados no township de Soweto.

A cerimônia, realizada em um lotado estádio de Orlando, encerra os 10 dias de luto nacional decretado em memória da ex-esposa de Nelson Mandela, que é chamada de Rocha, Mãe da Nação, a libertadora e a heroína, falecida em 2 de abril, aos 81 anos, após uma longa doença.

Foi minha mãe que manteve viva a memória do meu pai, Nelson Mandela, durante seus 27 anos de prisão antes de se tornar o presidente da África do Sul, em 1994, recordou sua filha mais velha, Zenani Mandela-Dlamini, entre os aplausos do público.

Ela que manteve seu nome na boca das pessoas, que levou seu coração às pessoas, disse, diante do caixão coberto pela bandeira sul-africana e colocado no centro do estádio.

Escoltado por motoristas, o caixão da Mama Winnie havia abandonou neste sábado pela manhã sua casa em Soweto, o bairro pobre de Johannesburgo ao qual foi fiel durante a vida toda.

Na chegada ao estádio de Orlando, a alguns quilômetros de distância, o caixão foi recebido por milhares de pessoas que, com o punho em riste, entoaram uma canção de luta: Não há ninguém como Winnie Mandela.

Foi um de nossos melhores soldados. Lutou desde o início até o final. Vá em paz, Mama, disse o espectador Brian Magqaza, de 53 anos.

Vários líderes estrangeiros, entre eles os chefes de Estado congolês, Denis Sassou Nguesso, e namibiano, Hage Geingob, compareceram à cerimônia, na qual o presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, pronunciou um discurso fúnebre no qual qualificou Winnie de muralha contra o apartheid.

Personalidades como Jesse Jackson, emblemático militante dos direitos civis nos Estados Unidos, também assistiram ao funeral. Winnie Mandela nunca parou de lutar, disse na sexta-feira o pastor, de 76 anos.

Após as cerimônias oficiais, Winnie Mandela será enterrada neste sábado à tarde no cemitério de Fourways, um bairro residencial de Johannesburgo, junto com uma de suas netas, falecida em 2010.

Também estava entre os presentes a modelo britânica Naomi Campbell.

 

Últimas Notícias

Atos em Brasília marcam os 50 anos da Receita Federal
Temer pede que brasileiros reflitam sobre questão racial
Grafiteira faz mural de 500 m2 no Rio para homenagear mulheres negras
Dia da Consciência Negra é comemorado no Rio com homenagem a Zumbi
Estados poderão decidir se darão aulas a distância no ensino médio
Moro escolhe delegados da Lava Jato para PF e departamento do MJ
Estudante poderá escolher área a ser avaliada no segundo dia do Enem
PF prende suspeitos de ligações com facções criminosas em sete estados

MAIS NOTICIAS

 

Estimativa do mercado para inflação cai pela quarta vez seguida
 
 
Autoridades de Cuba anunciam retorno de médicos antes do fim do ano
 
 
Guatemala monitora atividades de vulcão que pode ter novas erupções
 
 
Ex-CEO da Nissan é preso no Japão suspeito de reduzir próprio lucro
 
 
Governador eleito do Rio promete nova concessão para o Maracanã
 
 
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212