Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Império Serrano e familiares se despedem de Dona Ivone Lara - Jornal Brasil em Folhas
Império Serrano e familiares se despedem de Dona Ivone Lara


O corpo da cantora e compositora Dona Ivone Lara foi velado, desde o final da manhã, na quadra na escola de samba Império Serrano, em Madureira, zona norte do Rio, coberto por duas bandeiras: a da agremiação e a da Velha Guarda da Império Serrano, ala que ela integrou, desde a fundação da escola em 1947. Durante o velório, um telão passava imagens de desfiles marcantes em que a escola passou pela Avenida embalada pelas composições escritas pela Rainha do Samba.

O neto André Lara, que também é sambista e foi parceiro da avó, disse que a família se despede com tristeza mas também com muita tranquilidade pela longa vida que ela teve e pelo enorme legado que deixou. “Minha avó é uma pessoa maravilhosa e super humilde. Já até dividiu o cachê dela com os músicos, porque eles ganhavam pouco. Até há pouco tempo, quando ela estava bem, pegava ônibus normalmente. Tudo o que eu sei hoje, aprendi com ela, disse o músico.

As músicas favoritas de André que foram compostas por sua avó são Sonho Meu e Nasci pra sonhar ou cantar. Quando começo a cantar, eu choro. Tem alguma coisa especial”, lembrou.
Rio de Janeiro - Fãs despedem da cantora e compositora Dona Ivone Lara na quadra da Escola de Samba Império Serrano, em Madureira

Considerada pioneira como compositora de sambas enredo, Dona Ivone Lara compôs seu primeiro samba, Tiê Tiê, com apenas 12 anos. Suas composições tiveram início na década de 1940, mas os primeiros sambas enredo chegaram a ser assinados por um primo para driblar o machismo das agremiações carnavalescas.

O cantor e compositor Marquinhos de Oswaldo Cruz classificou Dona Ivone Lara como uma das maiores compositoras do país, no nível de Cartola e Pixinguinha. “Eu falava isso sempre com ela. Eu a achava melhor até do que a Chiquinha Gonzaga. Essa região de Madureira [antigamente] era uma região de roça e tem muito do rural nas músicas dela. Ela conseguiu ser pra mim a maior compositora da história do país, e sem perder essa essência do morro, porque ela não deixava de fazer [samba de] partido alto”.

Edição: Lidia Neves

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212