Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Condições de refugiados e migrantes no Iêmen assustam a Acnur - Jornal Brasil em Folhas
Condições de refugiados e migrantes no Iêmen assustam a Acnur


A Agência das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), está “profundamente preocupada” com a piora da situação dos refugiados, migrantes e candidatos a asilo chegados recentemente ao Iême, país assolado por conflitos e guerra divil.

Para o porta-voz da Acnur, William Spindler, o “conflito inabalável, a deterioração das condições económicas e o aumento da criminalidade estão a expor as pessoas a danos e exploração.”
As condições dos migrantes e refugiados no Iêmen são extremamente precárias

As condições dos migrantes e refugiados no Iêmen são extremamente precárias ONU/Ocha/Giles Clarke

Segundo a Acnur, têm aumentado os relatos de extorsão, tráfico e deportação no país. Spindler explicou que muitos migrantes “são presos ou detidos, vítimas de abuso e depois empurrados para o mar ou forçados a regressar ao seu país usando os mesmos contrabandistas que os trouxeram.” Em janeiro, mais de 50 somalis morreram afogados durante uma dessas operações.

A agência da ONU também registou casos de extorsão. Em março, um grupo de migrantes da Etiópia foi levado até a fronteira para ser deportado. Quando chegaram, foram detidos por contrabandistas, que exigiram US$ 700 das famílias para os libertar.

Detenções e humilhações

Desde fevereiro, a Acnur tem acompanhado o caso de cerca de 100 pessoas que foram detidas quando chegaram ao Iêmen. A agência também acompanha “numerosos relatos” de abusos dentro dos centros de detenção, incluindo violências sexual e física.

Segundo o porta-voz, os sobreviventes descrevem “serem forçados a testemunhar execuções sumárias, serem atingidos por tiros, espancados regulamente, violações de adultos e crianças, humilhação, incluindo nudez, e privação de comida.”

A Acnur disse que as suas tentativas de intervir nestes casos têm sido em vão, devido às estruturas complexas de um país em guerra. A agência também pede acesso sem restrições às pessoas que precisam de ajuda.

Pior crise humanitária do mundo

A ONU considera a situação humanitária no Iêmen a pior do mundo, mas o país continua a ser um destino de migração e trânsito para migrantes do extremo nordeste da África, que pretendem chegar à Península Árabica e além.

Por conta disto, a Acnur tem alertado para os riscos de atravessar um país em guerra. No ano passado, lançou uma campanha com o título , Travessias Perigosas (“Dangerous Crossings”, em inglês) advertindo para os perigos desse tipo de jornada.

Edição: Juliana Andrade

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212