Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 FMI aposta em China e Índia como motores do crescimento econômico da Ásia - Jornal Brasil em Folhas
FMI aposta em China e Índia como motores do crescimento econômico da Ásia


O Fundo Monetário Internacional (FMI) confirmou nesta terça-feira (17) sua confiança nas economias emergentes da Ásia, principalmente Índia e China, mas alertou que a enorme dívida chinesa é um risco.

Para todas as economias emergentes e em desenvolvimento da Ásia, o FMI prevê um crescimento de 6,5% em 2018, muito superior aos 3,9% de suas previsões mundiais divulgadas nesta terça.

A Ásia emergente ainda é o motor mais importante do crescimento global, disse a instituição em seu relatório.

No caso da China, se no curto prazo houver uma melhora na demanda externa que contribua para o fortalecimento de suas exportações, o FMI alerta que a virada de seu modelo econômico deve afetar o crescimento para baixo.

A China crescerá 6,6% em 2018 e 6,4% em 2019, de acordo com as previsões do FMI, que mantêm os mesmos dados de janeiro.

No entanto, eles são menores do que o crescimento de 6,9% do gigante asiático em 2017.

No médio prazo, o crescimento deve desacelerar gradualmente para 5,5%, conforme a China continua sua mudança para uma economia baseada no consumo doméstico, e não no investimento, explica o FMI.

No entanto, o organismo alerta novamente a China sobre o aumento da dívida fora do setor financeiro e o aumento da vulnerabilidade.

O governo chinês está lutando contra o colossal endividamento de sua economia (mais de 250% do Produto Interno Bruto), em particular contra empréstimos não regulamentados e um melhor controle do seu setor bancário.

Contudo, apesar desses esforços, o crescimento do volume total de crédito na China continua elevado, aponta o FMI, que no ano passado já denunciou a trajetória perigosa da dívida do país.

A segunda maior economia do mundo poderia se ver afetada pelas tensões comerciais com os Estados Unidos, onde o presidente Donald Trump ameaça impor tarifas sobre produtos chineses por até 150 bilhões de dólares.

Um aumento das tarifas aduaneiras e das barreiras não tarifárias poderia nublar os mercados, perturbar as cadeias de produção (...), reduzir a produtividade mundial e o investimento, afirma o Fundo.

- Índia se acelera -

Diferentemente da China, cuja economia perde força, a Índia é o novo motor da região, segundo o FMI, que prevê um crescimento do PIB de 7,4% em 2018 e 7,8% em 2019 (as mesmas cifras da previsão anterior).

A curto prazo, o crescimento da Índia, como o da China, se apoiará em um forte consumo interno, no bom momento do comércio internacional e na reforma fiscal, aponta o relatório.

A médio prazo, o crescimento (na Índia) deveria se acelerar progressivamente, com a continuação da aplicação das reformas estruturais, em particular as fiscais, que consolidarão a produtividade e estimularão o investimento privado, indica.

Contudo, o FMI alerta para o risco de uma espiral do endividamento, que já obrigou o governo indiano a recapitalizar seus bancos que têm grande quantidade de créditos suspeitos.

 

Últimas Notícias

Centro está preparado para lançamento de foguete após acidente
Cidades brasileiras integram programa de preservação de florestas
MP denuncia ex-marido de corretora assassinada no Rio
Bolsonaro segue estável e internado no Hospital Albert Einstein
Goiás entra para a elite dos Estados mais competitivos do País
Petrobras eleva gasolina em 2 centavos; diesel permanece inalterado
MME faz consulta sobre planejamento da transmissão de energia elétrica
Inadimplência do consumidor subiu 3,63% em agosto

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212