Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 FMI revisa para cima previsões de crescimento para zona do euro - Jornal Brasil em Folhas
FMI revisa para cima previsões de crescimento para zona do euro


O Fundo Monetário Internacional (FMI) revisou levemente para cima suas previsões de crescimento para a zona do euro em 2018, nesta terça-feira (17), graças a uma demanda mais alta do que o previsto.

O FMI agora indica um crescimento de 2,4% em 2018 - dois décimos acima de sua previsão de janeiro - e de 2% em 2019 - idêntico ao antecipado em janeiro.

As previsões refletem uma demanda interna mais forte que o previsto no conjunto da união monetária, uma política monetária mais ajustável e a melhoria das perspectivas de demanda externa, detalha o FMI.

O economista-chefe do FMI, Maurice Obstfeld, disse que a entidade verificou em 2017 um crescimento impressionante da região, que superou as expectativas.

No entanto, acrescentou que se olharmos para o que aconteceu no primeiro trimestre de 2018, parece haver espaço para expansão, mas não acho que podemos tirar as consequências e deduzir uma tendência geral.

A instituição de Washington considera que esta política monetária favorável tem que seguir até que a inflação aumento de forma duradoura para a meta de 2% fixada pelo Banco Central Europeu (BCE).

O BCE prevê inflação de 1,5% em 2018 e de 1,6% em 2019.

No entanto, Obstfeld evitou expressar sua opinião sobre os próximos passos que o BCE deve tomar.

Em comentários específicos sobre os países do bloco, o economista do FMI destacou que a Espanha deve se concentrar no mercado de trabalho, a Itália na trajetória dos acordos salariais e a Alemanha na desregulamentação gradual dos serviços.

Nesse contexto, Obstfeld pediu à Alemanha para reduzir seus excedentes.

Já observamos que há espaço para investimentos produtivos e mais investimentos privados que levariam a uma redução dos enormes superávits em conta corrente, disse o economista.

O FMI também alerta os bancos para a necessidade de reduzir os empréstimos problemáticos - também conhecidos como NPL - para apagar o legado da crise e concluir o projeto europeu de união bancária.

Por países, o FMI aumentou suas previsões de crescimento em 2018 para a Alemanha (2,5%, +0,2 ponto), França (2,1%, +0,2), Itália (1,5%, +0,1) e Espanha (2,8%, +0,4).

Fora da zona do euro, o FMI também revisa para cima o crescimento do Reino Unido - que deve sair da União Europeia dentro de um ano - para 1,6% (+0,1).

Este crescimento modesto na economia britânica reflete um aumento inesperado das barreiras comerciais e uma queda no investimento estrangeiro direto como resultado do Brexit.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212