Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 FMI revisa para cima previsões de crescimento para zona do euro - Jornal Brasil em Folhas
FMI revisa para cima previsões de crescimento para zona do euro


O Fundo Monetário Internacional (FMI) revisou levemente para cima suas previsões de crescimento para a zona do euro em 2018, nesta terça-feira (17), graças a uma demanda mais alta do que o previsto.

O FMI agora indica um crescimento de 2,4% em 2018 - dois décimos acima de sua previsão de janeiro - e de 2% em 2019 - idêntico ao antecipado em janeiro.

As previsões refletem uma demanda interna mais forte que o previsto no conjunto da união monetária, uma política monetária mais ajustável e a melhoria das perspectivas de demanda externa, detalha o FMI.

O economista-chefe do FMI, Maurice Obstfeld, disse que a entidade verificou em 2017 um crescimento impressionante da região, que superou as expectativas.

No entanto, acrescentou que se olharmos para o que aconteceu no primeiro trimestre de 2018, parece haver espaço para expansão, mas não acho que podemos tirar as consequências e deduzir uma tendência geral.

A instituição de Washington considera que esta política monetária favorável tem que seguir até que a inflação aumento de forma duradoura para a meta de 2% fixada pelo Banco Central Europeu (BCE).

O BCE prevê inflação de 1,5% em 2018 e de 1,6% em 2019.

No entanto, Obstfeld evitou expressar sua opinião sobre os próximos passos que o BCE deve tomar.

Em comentários específicos sobre os países do bloco, o economista do FMI destacou que a Espanha deve se concentrar no mercado de trabalho, a Itália na trajetória dos acordos salariais e a Alemanha na desregulamentação gradual dos serviços.

Nesse contexto, Obstfeld pediu à Alemanha para reduzir seus excedentes.

Já observamos que há espaço para investimentos produtivos e mais investimentos privados que levariam a uma redução dos enormes superávits em conta corrente, disse o economista.

O FMI também alerta os bancos para a necessidade de reduzir os empréstimos problemáticos - também conhecidos como NPL - para apagar o legado da crise e concluir o projeto europeu de união bancária.

Por países, o FMI aumentou suas previsões de crescimento em 2018 para a Alemanha (2,5%, +0,2 ponto), França (2,1%, +0,2), Itália (1,5%, +0,1) e Espanha (2,8%, +0,4).

Fora da zona do euro, o FMI também revisa para cima o crescimento do Reino Unido - que deve sair da União Europeia dentro de um ano - para 1,6% (+0,1).

Este crescimento modesto na economia britânica reflete um aumento inesperado das barreiras comerciais e uma queda no investimento estrangeiro direto como resultado do Brexit.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212