Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Laboratório japonês testará detecção de câncer com amostras de urina - Jornal Brasil em Folhas
Laboratório japonês testará detecção de câncer com amostras de urina


Um laboratório japonês vai iniciar o que apresenta como os primeiros testes no mundo destinados a detectar o câncer por meio da análise de amostras de urina, o que facilitaria o diagnóstico da doença.

O grupo Hitachi desenvolve há dois anos uma tecnologia que pretende detectar o câncer de mama ou do colo a partir de exames de urina.

Agora a empresa vai começar a fase de testes com base em 250 amostras para determinar se estas podem ser analisadas a temperatura ambiente, informou o porta-voz da Hitachi, Chiharu Odaira.

Se este método for colocado em prática, será muito mais simples para as pessoas passar por exames para a detecção do câncer, já que não precisarão mais comparecer a um laboratório para um exame de sangue, completou.

O laboratório também trabalha na detecção de câncer nas crianças.

Esta técnica seria menos invasiva que os exames de sangue e revelaram ser promissores no diagnóstico de oito tipos de tumores antes de sua propagação para outras partes do corpo, segundo estudos publicados no início do ano nos Estados Unidos.

Os métodos comuns de diagnóstico do câncer de mama consistem em uma mamografia seguida de uma biópsia no caso de detecção de risco.

Para o câncer do colo é necessário um exame de fezes e uma colonoscopia para os pacientes de risco.

A tecnologia da Hitachi se concentra no estudo de biomarcadores, indicadores característicos de uma doença, nos resíduos encontrados na urina, explicou a empresa em um comunicado.

O procedimento tem por objetivo melhorar o diagnóstico precoce do câncer, para salvar vidas e reduzir os custos, explicou Odaira.

A experiência vai acontecer de abril a setembro em cooperação com a Universidade de Nagoya, no centro do Japão.

Nosso objetivo é utilizar esta tecnologia até 2020, mas isto dependerá de vários parâmetros, incluindo a obtenção das autorizações, completou Odaira.

 

Últimas Notícias

Bolsonaro terá uma série de reuniões na próxima semana em Brasília
Com pênalti controverso, Brasil vence Uruguai por um a zero
Brasil está preparado para substituir médicos cubanos, afirma Temer
Chega a quatro número de vítimas das chuvas em Belo Horizonte
Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23
Massoterapeuta Dani Bumbum deixa prisão no Rio
Cervejas terão rótulos com os ingredientes usados na fabricação
Temporal causa mortes e estragos em BH; adolescente está desaparecida

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212