Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Uma mensagem de ódio foi enviada a cada hora durante campanha na Itália - Jornal Brasil em Folhas
Uma mensagem de ódio foi enviada a cada hora durante campanha na Itália


A Anistia Internacional (AI) denunciou nesta terça-feira (17) a retórica de ódio que marcou a recente campanha eleitoral na Itália, durante a qual registrou uma mensagem de ódio por hora, fenômeno que a organização de direitos humanos também assinalou em outros países.

Durante as últimas três semana de campanha eleitoral na Itália, registramos 787 mensagens de ódio nas contas dos candidatos, mais de uma por hora, as quais repercutiram nas redes sociais, revelou o relatório da AI.

Cerca de 600 ativistas da organização analisaram as contas de Facebook e Twitter de 1.419 candidatos às eleições legislativas e regionais de 4 de março durante o período de 8 de fevereiro a 2 de março a fim de estabelecer o termômetro do ódio.

O uso de estereótipos e mensagens insultantes, racistas e discriminatórias, e inclusive que incitavam a violência fez parte da linguagem comum na campanha eleitoral.

Segundo os ativistas, 43% das mensagens de ódio foram escritas por líderes dos diferentes partidos, entre eles 129 candidatos, 77 dos quais foram eleitos.

A Liga Norte, do xenófobo Matteo Salvini, comandou o fenômeno com 51% das mensagens enviadas.

A extrema direita neofascista do Irmãos da Itália registrou 27%, e Força Itália, partido do magnata e ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi, 13%. A pequena formação neofascista Casa Pound, 4%.

A formação antissistema Movimento 5 Estrelas, primeira força política do país, se limitou a 2%.

A imigração ilegal, tema central da campanha, inspirou 91% das mensagens, nas quais os imigrantes foram chamados de ilegais e estrangeiros, mas também de animais e até vermes.

Cerca de 11% das mensagens manifestavam sentimentos islamofóbicos, 6% iam contra os homossexuais e 5% contra os ciganos.

De acordo com a organização, um terço das mensagens analisadas transmitia informações falsas ou dados modificados.

Suspeitávamos e agora confirmamos: a retórica do ódio também é usada na Itália, comentou em comunicado Gianni Rufini, diretor da Anistia Internacional Itália.

É impressionante ver que tanta gente que aspira a ter um papel institucional tenha usado palavras tão discriminatórias e de ódio durante a campanha, afirmou.

A Anistia alertou recentemente que o auge deste tipo de discurso, sobretudo nas democracias ocidentais, agrava o risco de normalizar o ódio e estigmatizar grupos.

 

Últimas Notícias

Sul e Sudeste se unem e formam consórcio para ações conjuntas
Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
Feiras em São Paulo oferecem oportunidades de intercâmbio no exterior
Treze de 16 docentes relataram casos de agressão na escola de Suzano

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212