Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Caema realizará operação para garantir abastecimento e evitar problemas durante cheia do Rio Itapecuru - Jornal Brasil em Folhas
Caema realizará operação para garantir abastecimento e evitar problemas durante cheia do Rio Itapecuru


A Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) vai realizar parada programada do Sistema de Abastecimento de Água da cidade de Itapecuru-Mirim, a partir desta sexta-feira (20), com previsão de retorno de operação na próxima segunda-feira (23). A intenção é implantar medidas na área de captação de água bruta, às margens do Rio Itapecuru, para evitar problemas no abastecimento.

De acordo com a Diretoria de Operação, Manutenção e Atendimento ao Cliente – DO/CAEMA, as constantes chuvas na cabeceira do Rio Itapecuru têm feito o nível do rio subir consideravelmente e está obrigando a realização de medidas preventivas. Segundo o diretor André dos Santos Paula, é importante que se tome as providências o quanto antes, para evitar riscos à normalidade do abastecimento no município.

“Mediante o acompanhamento do nível do rio, e após verificar a situação in loco, bem como apresentar e discutir as medidas cabíveis, optamos por fazer a parada durante o fim de semana, evitando dias normais de atendimento em órgãos públicos, maior movimento do comércio e outros fatores, para que os impactos sejam reduzidos”, explicou o diretor.

Durante a parada, será feita a remoção de equipamentos da casa de comando da captação, que corre o risco de ser atingida pela cheia do rio e causaria danos aos quadros elétricos, e toda rede de alimentação para os equipamentos da captação. Além disso, será feito também o traslado do flutuante (base tubular de ferro, que comporta o conjunto de bombas que captam a água do Itapecuru para abastecer os habitantes da sede e entorno), para um lugar mais seguro.

“No caso do flutuante, nós iremos removê-lo para uma área onde possa ficar ancorado. Também iremos fazer a estabilização, com boias, dos magotes de condução da água bruta até a captação, para que seja praticamente eliminado o risco de um entorno, ou de uma submersão do equipamento”, explicou o gerente Regional de Itapecuru, José Carlos de Araújo.

Ele evidenciou, ainda, que a transferência do flutuante envolve uma série de outros equipamentos necessários a captação, a exemplo dos barriletes (estruturas hidráulicas de tubos, conexões e registros), que por isso a remoção precisa de procedimentos preliminares a serem executados antes da ação propriamente dita como, por exemplo, a execução de alguns reparos na estrutura do próprio flutuante.

Retomada

Apesar da parada no Sistema de Abastecimento de Água de Itapecuru estar programada para iniciar às 7h desta sexta-feira (20), com o retorno da operação previsto para voltar a ocorrer na segunda-feira (23), com bombeamento de água bruta por volta de 6h da manhã, a Caema enfatiza que pretende superar expectativas e fazer todo o serviço de remoção durar bem menos tempo.

No entanto, o gerente Regional de Itapecuru deixa claro que, para que isso aconteça, é preciso que o tempo apresente condições favoráveis, dando possibilidades para que as equipes envolvidas acelerem os trabalhos. Deste modo, ele orienta a população a armazenar e fazer uso da água em casa de forma consciente, de modo que possa suprir suas necessidades, mas também economizar, para que não venha a sentir dificuldades durante este período.

É importante também ter em mente, segundo José Carlos, que o abastecimento depende de um tempo para se restabelecer, uma vez que as redes de abastecimento de água precisam de vazão e pressão para chegar até as torneiras de forma gradativa.“A partir do momento em que se findarem os procedimentos de remoção, nós iniciaremos o bombeamento da água da captação a estação de tratamento, e, após, iremos enviá-la pelas redes. De qualquer forma, é preciso ter em mente que essa água precisa de um tempo para atingir as torneiras, o que ocorrerá de forma gradativa a todos os usuários”, explicou ele.

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212