Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Brasil precisa continuar reformas, diz chefe do FMI - Jornal Brasil em Folhas
Brasil precisa continuar reformas, diz chefe do FMI


A diretora gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, disse hoje (19), que o Brasil voltou a crescer, mas ainda é preciso avançar nas reformas econômicas. Segundo ela, o crescimento “é provável consequência de algumas das reformas-chave que foram levadas adiante, mas não todas ainda, ainda há mais por vir”.

Segundo ela, dado o ônus da dívida no país, “é tempo de fazer uma consolidação fiscal inteligente, gradual ao longo do tempo, e que ao mesmo continue a encorajar o processo de crescimento que está acontecendo no Brasil”.

Lagarde também afirmou, ao comentar as reformas fiscais no Brasil, que o equilíbrio entre os incentivos ao crescimento e a responsabilidade fiscal é um “exercício sutil” para os ministros das Finanças responsáveis pela tarefa. “Eles têm que construir amortecedores e se preparar para o que quer que seja (uma possível) próxima queda, mas ao mesmo tempo eles não devem colocar um freio no avanço do crescimento, este é o sentido da nossa recomendação”, afirmou.

A diretora comentou ainda sobre a disputa comercial em andamento entre a China e os Estados Unidos. Ela disse que o maior perigo dessa disputa é a ameaça de diminuir o nível de confiança das nações e consequentemente os investimentos, o que deve ter um impacto sobre o nível de confiança dos países.
Projeção de alta

O FMI elevou na terça-feira (17) a projeção de crescimento do Brasil para 2,3% em 2018 e 2,5% em 2019. As projeções representam 0,4 pontos percentuais a mais do que as do último relatório que havia sido publicado em janeiro. Segundo o fundo, os números foram impulsionados pelo aumento do investimento e do consumo privado no país. No relatório Panorama da Economia Mundial, que trouxe os dados, a instituição recomenda que o Brasil leve adiante a Reforma da Previdência.

Ontem (18), no relatório Monitor Fiscal, o Fundo Monetário disse que o país só deverá alcançar superávit primário – resultado positivo de receitas e despesas do governo excluindo juros – daqui a quatro anos, em 2022. A estimativa feita em outubro passado era de que o equilíbrio nas contas seria alcançado em 2021.

Edição: Augusto Queiroz

 

Últimas Notícias

John Forman recusa cargo no Conselho de Administração da Petrobras
Em visita oficial, Macri é recebido no Planalto por Bolsonaro
Mercado financeiro prevê inflação em 4,02% neste ano
Consultas de CPFs para vendas a prazo no comércio crescem 2,8%
Produção de bicicletas aumenta 15,9% no Brasil
Receita abre consulta a restituição do Imposto de Renda de 2008 a 2018
Ex-comandante da Marinha é indicado para o conselho da Petrobras
Inflação para idosos fecha 2018 em 4,75%, informa FGV

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212