Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Coreia do Norte busca desnuclearização, diz líder sul-coreano - Jornal Brasil em Folhas
Coreia do Norte busca desnuclearização, diz líder sul-coreano


O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-In, disse hoje (19) que a Coreia do Norte expressou compromisso com a “desnuclearização completa”. Ele acrescentou que Pyongyang não está impondo condições para que este processo seja iniciado. As declarações foram dadas depois de o presidente Donald Trump ter dito que o encontro entre Estados Unidos (EUA) e Coreia do Norte só acontecerá se for frutífero”.

Trump afirmou nessa quarta-feira (18), em uma coletiva ao lado do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, que as conversas entre Washington e Pyongyang estão avançando positivamente, mas que o país pode não realizar a cúpula com os norte-coreanos caso perceba que pode não alcançar os resultados esperados - a completa desnuclearização.

A Coreia do Sul também manifestou no começo da semana que quer aproveitar o encontro para reestabelecer o diálogo na península coreana.

Durante um almoço com jornalistas na capital, Moon afirmou que acordos abrangentes de desnuclearização, o estabelecimento de um regime de paz e a normalização das relações entre as duas Coreias e os EUA não deveriam ser difíceis de alcançar por meio de cúpulas intercoreanas e entre Pyongyang e Washington.

As declarações foram repercutidas pela imprensa local e internacional. “Não acho que a desnuclearização tenha significados diferentes para as Coreias do Sul e do Norte. O Norte está expressando o desejo de uma desnuclearização completa”, frisou.

Segundo o jornal norte-coreano The Cholsonilbo, Moon Jae-In enfatizou que os norte-coreanos não atrelaram nenhuma condição que os EUA não possam aceitar, como por exemplo, uma completa retirada de tropas americanas da Coreia do Sul. Eles só estão falando do fim das políticas hostis à Coreia do Norte, seguido por uma garantia de segurança”.

A Coreia do Norte mantém programas nuclear e de mísseis, o que contraria resoluções do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas. Mas não está claro se Pyongyang abdicaria de pedir a retirada de tropas dos EUA da Coreia do Sul. Mais de 28 mil soldados norte-americanos permanecem no país, como herança da guerra na península, que aconteceu entre 1950 e 1953.

O governo norte-coreano já afirmou anteriormente que os EUA deveriam retirar as tropas do Sul, como condição de negociação da desnuclearização.

A imprensa local em Seul também destaca os preparativos da visita do presidente chinês XI Jinping à Pyongyang em junho, encontro em planejamento para acontecer logo após uma eventual reunião entre Trump e Kim Jong-Un.

Edição: Valéria Aguiar

 

Últimas Notícias

Atos em Brasília marcam os 50 anos da Receita Federal
Temer pede que brasileiros reflitam sobre questão racial
Grafiteira faz mural de 500 m2 no Rio para homenagear mulheres negras
Dia da Consciência Negra é comemorado no Rio com homenagem a Zumbi
Estados poderão decidir se darão aulas a distância no ensino médio
Moro escolhe delegados da Lava Jato para PF e departamento do MJ
Estudante poderá escolher área a ser avaliada no segundo dia do Enem
PF prende suspeitos de ligações com facções criminosas em sete estados

MAIS NOTICIAS

 

Estimativa do mercado para inflação cai pela quarta vez seguida
 
 
Autoridades de Cuba anunciam retorno de médicos antes do fim do ano
 
 
Guatemala monitora atividades de vulcão que pode ter novas erupções
 
 
Ex-CEO da Nissan é preso no Japão suspeito de reduzir próprio lucro
 
 
Governador eleito do Rio promete nova concessão para o Maracanã
 
 
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212