Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Protestos contra reforma da previdência deixam pelo menos dois mortos na Nicarágua - Jornal Brasil em Folhas
Protestos contra reforma da previdência deixam pelo menos dois mortos na Nicarágua


Estudantes nicaraguenses enfrentam a polícia diante da Universidade de Engenharia durante protesto contra a reforma da Previdência, em 19 de abril de 2018.

Um manifestantes e um policial morreram na quinta-feira durante confrontos na Nicarágua, em meio a protestos contra a elevação das contribuições pagas ao INSS, o Instituto Nicaraguense de Segurança Social.

Segundo a Polícia Nacional, o agente identificado como Jilton Manzanares, de 33 anos, foi morto com um tiro de escopeta.

A segunda vítima fatal é Richard Pavón 17 anos, morto ao ser atingido a tiros por grupos que pretendiam atacar a prefeitura da cidade de Tipitapa, próxima da capital.

A polícia indicou ainda que dois civis foram feridos a tiros, enquanto a oposição anunciou que um estudante universitário morreu e várias pessoas ficaram feridas, mas este balanço não foi confirmado por fontes oficiais.

As autoridades chegaram a anunciar um balanço de três mortos, mas depois revisaram o anúncio para duas vítimas fatais.

Os incidentes aconteceram em Manágua e nas cidades vizinhas à capital.

Os protestos, convocados por universitários e aposentados, começaram pela manhã nos arredores da Universidade Nacional Agrária (UNA), em Manágua.

Os manifestantes rejeitam a elevação no valor das contribuições à Previdência introduzido na reforma decretada pelo governo do presidente Daniel Ortega, atendendo à recomendação do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Policiais de choque reprimiram os manifestantes com bombas de gás lacrimogêneo e golpes de cassetete, enquanto eram alvo de paus e pedras.

Em meio aos distúrbios, o Canal 15 da TV a cabo foi retirado do ar e segundo seu diretor, Miguel Mora, o governo ordenou a queda do sinal em uma clara violação do direito de liberdade de imprensa.

Outros três canais de TV aberta e a cabo saíram do ar quando transmitiam informações sobre os protestos.

A vice-presidente Rosario Murillo disse que os protestos são dirigidos por grupos minúsculos, que chamou de almas pequenas, tóxicas, repletas de ódio e que não representam o sentimento do povo.

Estas circunstâncias dolorosas manipuladas, esta corrupção de pensamentos e intenções, estes corações doentes, carregados de ódio e pervertidos, não podem semear o caos e negar aos nicaraguenses a tranquilidade que graças a Deus temos.

Os protestos começaram na quarta-feira, quando ao menos 18 pessoas, incluindo jornalistas, ficaram feridas por golpes e objetos contundentes atirados por grupos de ativistas que se identificaram como partidários do governo.

 

Últimas Notícias

Bolsonaro terá uma série de reuniões na próxima semana em Brasília
Com pênalti controverso, Brasil vence Uruguai por um a zero
Brasil está preparado para substituir médicos cubanos, afirma Temer
Chega a quatro número de vítimas das chuvas em Belo Horizonte
Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23
Massoterapeuta Dani Bumbum deixa prisão no Rio
Cervejas terão rótulos com os ingredientes usados na fabricação
Temporal causa mortes e estragos em BH; adolescente está desaparecida

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212