Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Dinossauro do tamanho de cavalo mostra como T-rex tornou-se rei - Jornal Brasil em Folhas
Dinossauro do tamanho de cavalo mostra como T-rex tornou-se rei


Um novo tipo de dinossauro da família do T-rex poderia explicar como o legendário cresceu para tornar-se o indiscutível rei da cadeia alimentar - informaram pesquisadores nesta segunda-feira.

Até agora, os cientistas não têm tido muita evidência sobre a forma como este predador icônico tornou-se o maior carnívoro na Terra antes que os dinossauros fossem extintos há 65 milhões de anos.

As respostas podem estar no cérebro do Timurlengia euotica, um parente até então relativamente desconhecido do T-rex.

Timurlengia euotica era menor do que o T-rex, que tinha um tamanho similar ao de um elefante, mas já tinha desenvolvido o cérebro necessário para rastrear e devorar suas presas.

Embora os pesquisadores tenham advertido que esta descoberta representava apenas um animal dentro de uma grande linhagem, suas características ajudam a ilustrar como pequenos tiranossauros evoluíram ao longo do tempo em animais maiores e mais inteligentes, graças aos sentidos aguçados que poderiam ajudá-los a encher suas barrigas.

Apenas quando estes tiranossauros ancestrais desenvolveram seus engenhosos cérebros e refinados sentidos, cresceram para ficar do tamanho do T-Rex, explicaram.

Os primeiros tiranossauros surgiram há 170 milhões de anos e então tinham o tamanho de um ser humano.

Os ossos do Timurlengia euotica foram descobertos no Uzbequistão, onde viveram há cerca de 90 milhões de anos.

Não se sabe muito sobre como o T-rex se tornou tão grande, especialmente devido a uma lacuna frustrante de cerca de 20 milhões anos no registro fóssil do Oriente Cretáceo, quando os tiranossauros passaram de pequenos caçadores a predadores gigantes, diz o estudo publicado nos Anais da Academia Nacional de Ciências.

Esta nova descoberta é a primeira espécie de tiranossauro diferente procedente deste vácuo.

O espécime foi descoberto entre 1997 e 2006 por uma equipe de paleontólogos liderados por pesquisadores da Universidade de Edimburgo, que trabalhavam no deserto de Kyzylkum, a noroeste do Uzbequistão.

O crânio do Timurlengia era menor do que o do T-rex, sugerindo que ele não cresceu muito, mas a forma de seu crânio revela que o cérebro e os sentidos já estavam altamente desenvolvidos.

 

Últimas Notícias

Receita paga hoje as restituições do último lote do IRPF 2018
Mercado mantém estimativa de inflação em 3,71% este ano
BC anuncia que atividade econômica cresce 0,02% em outubro
Embraer e Boeing aprovam termos para fusão
Leilão da Ceal é adiado para o dia 28 de dezembro
Tesouro quitou no ano R$ 4,19 bi de estados e municípios inadimplentes
Paulo Guedes diz que pretende cortar até 50% das verbas do Sistema S
Com intervenção do BC, dólar começa semana em queda

MAIS NOTICIAS

 

Paulo Guedes diz que pretende cortar até 50% das verbas do Sistema S
 
 
Documentos de Ghosn são recolhidos de apartamento em Copacabana
 
 
COP24: países definem regras para implementar Acordo de Paris
 
 
Crise na Nicarágua se agrava, diz Comissão de Direitos Humanos da OEA
 
 
Regulamentação do mercado de carbono será decidida somente na COP 25
 
 
Coreia do Norte adverte EUA que sanções podem impedir desnuclearização

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212