Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 ONU quer incluir direitos humanos nas negociações entre Coreias - Jornal Brasil em Folhas
ONU quer incluir direitos humanos nas negociações entre Coreias


O especialista independente em direitos humanos das Nações Unidas, Tomas Ojea Quintana, disse hoje (25) que quaisquer negociações sobre a desnuclearização na Península Coreana que evitem o tema dos direitos humanos podem comprometer futuros acordos sustentáveis. A informação é da ONU News.

Uma nota do perito foi publicada dois dias antes da reunião de cúpula entre o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, marcada para começar nesta sexta-feira, 27 de abril. O encontro entre os dois líderes é o primeiro em 11 anos. No fim de maio, uma outra cimeira deve ocorrer entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos.

Ojea Quintana disse que qualquer entendimento que marginalize os direitos e as demandas do povo norte-coreano será frágil. Para ele, a paz e a segurança não podem ser alcançados somente com acordos intergovernamentais, mas também, na forma de políticas domésticas que garantam os direitos humanos, sem discriminação.
Tomás Ojea Quintana.
Preocupações

A nota do especialista destaca que a Coreia do Sul já deu indicações de que as preocupações sobre direitos humanos não farão parte da agenda do encontro de sexta-feira, uma questão que para Ojea Quintana deve voltar ao foco.

O apelo do perito concorda com a posição externada pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, para quem todos os envolvidos na questão devem defender os direitos humanos como elemento para a prevenção de conflitos e mecanismo de construção da paz.

Quintana disse que “a Coreia do Norte tem provado ser um negociador complexo e que se não forem mencionados os direitos humanos neste primeiro estágio de negociações seria dado um passo em falso e uma oportunidade perdida.

O especialista citou várias questões urgentes de direitos humanos no país já destacadas em relatórios do Conselho de Direitos Humanos e na Assembleia Geral das Nações Unidas.
Comprometimento

Entre temas a serem incluídos nessas conversações, estão direitos de reencontro de famílias separadas na Guerra da Coreia, libertação dos estrangeiros detidos arbitrariamente e o impacto negativo de sanções sobre os direitos econômicos e sociais da população norte-coreana.

Para Ojea Quintana, um compromisso da Coreia do Norte em cooperar com mecanismos da ONU seria a referência perfeita para o progresso nas negociações. Ele frisou que o anúncio de suspensão de testes nucleares e dos lançamentos de mísseis balísticos intercontinentais pela Coreia do Norte é muito bom e um avanço bem-vindo, após anos marcados por retórica muitas vezes de níveis alarmantes.

No entanto, o relator especial disse que é necessário ver da Coreia do Norte o mesmo tipo de atitude em relação às questões de direitos humanos.

Ele destacou que embora uma série de mecanismos da ONU nos últimos anos aborde a situação das mulheres, crianças e pessoas com deficiência, os pedidos feitos pelo relator especial para visitar a Coreia do Norte foram rejeitados e continuam fechadas as inspeções de monitores independentes em direitos humanos no país.

Edição: Augusto Queiroz

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212