Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Dinamarca é país mais feliz do mundo; Brasil aparece em 17º - Jornal Brasil em Folhas
Dinamarca é país mais feliz do mundo; Brasil aparece em 17º


Dinamarca e Suécia são os países mais felizes do mundo, Síria e Burundi, os mais miseráveis, e Costa Rica lidera o ranking da felicidade entre os latino-americanos - aponta o Informe Mundial sobre a Felicidade, em sua edição 2016, divulgado nesta quarta-feira.

O objetivo do ranking é quantificar a felicidade, de modo que as sociedades possam ser mais saudáveis e eficientes. Esse estudo das Nações Unidas foi publicado pela primeira vez em 2012.

Assim como no ano passado, Islândia, Noruega, Finlândia, Canadá, Holanda, Nova Zelândia, Austrália e Suécia ocuparam os primeiros dez lugares.

No caso específico da América Latina, a liderança é da Costa Rica, em 14º, seguida de Brasil (17), México (21), Chile (24), Panamá (25), Argentina (26), Uruguai (29), Colômbia (31), Guatemala (39), Venezuela (44), El Salvador (46), Nicarágua (48), Equador (51), Bolívia (59), Peru (64), Paraguai (70), República Dominicana (89) e Honduras (104).

O Burundi apareceu em último, este ano, na 157ª posição. Entre os lanternas, estão Síria, Togo, Afeganistão e seis países da África Subsaariana: Benin, Ruanda, Guiné, Libéria, Tanzânia e Madagascar.

Na comparação dos dados de 2005 a 2015, o informe destaca que a Grécia, que sofreu enormemente com a recessão mundial e agora enfrenta uma grave crise migratória, registrou a maior queda em seu índice de felicidade.

Já os Estados Unidos avançaram duas posições e ocuparam o 13º lugar.

Alguns dos 20 países que mais caíram em seu índice de felicidade foram Egito, Irã, Jordânia, Iêmen e Arábia Saudita no Oriente Médio; Japão e Índia, na Ásia; e Chipre, Espanha, Itália e Grécia na Europa, todos fortemente atingidos pela crise econômica.

A Ucrânia, imersa na violência desde 2014, também registrou uma queda acentuada.

Em contrapartida, Islândia e Irlanda são os melhores exemplos: conseguem manter seu índice de felicidade intacto apesar da crise econômica, graças aos altos níveis de apoio social, considerou o estudo.

Os autores da pesquisa usaram seis fatores para explicar a variação de felicidade nesses países: PBI per capita, apoio social, expectativa de vida, liberdade social, generosidade e ausência de corrupção.

 

Últimas Notícias

Bolsonaro terá uma série de reuniões na próxima semana em Brasília
Com pênalti controverso, Brasil vence Uruguai por um a zero
Brasil está preparado para substituir médicos cubanos, afirma Temer
Chega a quatro número de vítimas das chuvas em Belo Horizonte
Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23
Massoterapeuta Dani Bumbum deixa prisão no Rio
Cervejas terão rótulos com os ingredientes usados na fabricação
Temporal causa mortes e estragos em BH; adolescente está desaparecida

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212