Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Obama nomeia juiz moderado para a Suprema Corte dos EUA - Jornal Brasil em Folhas
Obama nomeia juiz moderado para a Suprema Corte dos EUA


O presidente Barack Obama nomeou nesta quarta-feira um progressista moderado, o juiz Merrick Garland, para a Suprema Corte americana, abrindo uma batalha por sua confirmação no Congresso dominado pela oposição republicana, embora tenha dito que o jurista de 63 anos tem o apoio dos dois grandes partidos do país.

Escolhi um candidato que é amplamente reconhecido, não só como uma das mentes legais mais brilhantes dos Estados Unidos, mas alguém que leva ao trabalho um espírito de decência, modéstia, integridade, equilíbrio e excelência, disse Obama nos jardins da Casa Branca.

Pondo fim a semanas de consultas e especulações, Obama disse que Garland é o homem adequado para o cargo e merece ser confirmado.

Segundo a Constituição americana, os nove juízes da mais alta corte do país - chamada a se pronunciar regularmente sobre grandes debates da sociedade - são nomeados em caráter vitalício pelo presidente. Cabe ao Senado aprovar ou rejeitar a indicação.

Os republicanos, que dominam o Congresso, afirmam que a substituição do juiz conservador Antonin Scalia, falecido repentinamente em fevereiro, deveria esperar a chegada do próximo presidente, em janeiro de 2017.

Segundo Obama, a experiência de Garland - ele dirigiu a investigação contra o autor do atentado em Oklahoma, Timothy McVeigh - rendeu-lhe o respeito e a admiração de líderes democratas e republicanos.

Mas vários dirigentes do Congresso aguardaram apenas o fim do discurso de Obama para confirmar que se negarão até mesmo a ouvir qualquer indicado pelo presidente, seja qual for seu currículo.

Uma maioria do Senado decidiu cumprir seu dever constitucional (...), abstendo-se de apoiar uma indicação durante um ano de eleição presidencial, disse Chuck Grassley, presidente da Comissão de Assuntos Jurídicos do Senado.

Deem ao povo uma voz na decisão, disse o líder republicano no Senado, Mitch McConell.

Maior honra da minha vida

Como pano de fundo para a nomeação está a eleição presidencial de novembro, mas também a recomposição de parte do Congresso e a Casa Branca aposta em que a pressão da opinião pública force a mão de alguns senadores republicanos.

Funcionários do governo Obama apontaram, satisfeitos, que alguns republicanos aceitaram se reunir com Garland.

Segundo consulta do Washington Post e da ABC News, 63% dos americanos acreditam que o Senado deve organizar uma audiência para o magistrado indicado pelo presidente, contra 32% que afirmam o contrário.

Nossa Suprema Corte realmente é única. Deve estar acima da política. Tem que ser assim e deve permanecer desta maneira, disse Obama.

Insistir em negar um voto a Garland seria uma traição às nossas melhores tradições. E uma traição à visão dos nossos documentos fundacionais, destacou.

A nomeação de Garland, de 63 anos, põe os republicanos na posição de ignorar um juiz que já foi confirmado uma vez pelo Senado para a Corte de Apelações do Distrito de Columbia - onde fica a capital, Washington - e que se opõe ao ativismo judicial que eles próprios repudiam.

O duelo é de alta transcendência.

A corte é atualmente dividida entre quatro juízes conservadores e quatro liberais, enquanto se espera que a alta corte se pronuncie nos próximos meses sobre vários assuntos explosivos nos Estados Unidos: imigração, aborto ou a luta contra as mudanças climáticas.

Scalia foi, por mais de três décadas, o líder intelectual da ala conservadora da corte e o vínculo mais fiel para os republicanos por sua oposição taxativa ao aborto, ao casamento entre pessoas do mesmo sexo e sua defesa inquebrantável da pena de morte e do porte de armas.

Sua morte deixou os conservadores sem a vantagem de 5-4 na alta corte e abriu a porta a Obama para nomear seu terceiro magistrado, depois de Elena Kagan e da juíza de origem porto-riquenha Sonia Sotomayor.

Hillary Clinton, a grande favorita à indicação democrata às presidenciais, apoiou a decisão de Obama e pediu ao Senado para assumir sua responsabilidade, destacando que, em média, o processo de avaliação de um candidato à Suprema Corte é de, no máximo, dois meses.

Enquanto isso, Merrick Garland agradeceu, comovido, ao presidente por seu apoio.

Esta é a maior honra da minha vida, disse, com a voz embargada pela emoção.

 

Últimas Notícias

Bolsonaro deve anunciar mais quatro ministros nos próximos dias
Para Senado, MP que adia aumento de servidores pode ser suspensa
CNJ quer explicações de juiz e desembargadores sobre HC de Lula
Deslizamento de terra deixa pelo menos dois mortos em Niterói
Bolsonaro defende turismo como forma de preservação ambiental
Dançarinos apresentam espetáculo sobre relação do corpo cego em SP
Bolsonaro cancela agendas no Congresso Nacional
Bolsonaro ganha bananas maduras de amigos de Eldorado Paulista

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212