Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


10 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Governo argentino diz que economizou 20% por pagar fundos em dinheiro - Jornal Brasil em Folhas
Governo argentino diz que economizou 20% por pagar fundos em dinheiro


O ministro de Fazenda e Finanças Públicas da Argentina, Alfonso Prat-Gay, disse nesta quarta-feira que o governo obteve uma economia adicional de 20% ao ter determinado que o pagamento do acordo alcançado com os fundos que denunciaram o Estado por títulos da dívida em moratória desde 2001 seja feito em dinheiro.

A Câmara dos Deputados aprovou hoje o projeto de lei que permitirá ao governo de Mauricio Macri cancelar dívidas com esses credores, mas a iniciativa ainda deve ser avalizada pelo Senado para se transformar em lei.

Após esta instância, Prat-Gay expôs pela tarde os alinhamentos centrais do acordo alcançado com os fundos no plenário das comissões de Orçamento e Fazenda e de Economia Nacional e Investimento do Senado.

Segundo explicaram fontes parlamentares, o ministro afirmou que a dívida original com os credores que não aceitaram as renegociações de 2005 e 2010 e denunciaram o Estado era de US$ 6,089 bilhões e que esse capital se transformou pelos litígios e decisões judiciais em US$ 18,995 bilhões.

Assim, o ministro destacou que com sua estratégia de negociação o governo obteve uma economia adicional de 20% sobre sentença negociada ao ter estipulado o pagamento com dinheiro.

Se for aprovada, a iniciativa legislativa autorizará o governo a pagar os credores que possuem títulos argentinos em moratória desde o fim de 2001 e que não aceitaram as reestruturações de 2005 e 2010.

Estes incluem poderosos fundos de investimento que acionaram a Argentina em tribunais de Nova York há uma década, e que contam com uma sentença de pagamento a seu favor assinada pelo juiz Thomas Griesa, e a outros credores, como investidores individuais italianos, que não estão contemplados por esse processo judicial.

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou hoje a proposta governista com 165 votos a favor, 86 contra e 5 ausências após um debate que se prolongou durante 20 horas.

O grosso dos votos contrários foram da aliança opositora Frente para a Vitória (FpV), que conta com 80 legisladores na Câmara.

O projeto de lei também prevê conceder uma permissão ao Executivo para que emita títulos da dívida de até US$ 12 bilhões nos mercados internacionais, com prazos de vencimento de até 15 anos, com o objetivo de aplicar os recursos que forem obtidos ao pagamento dos credores.

A meta do governo é que a lei seja aprovada antes de abril, já que a ideia é sair aos mercados e cancelar a dívida com os credores antes do dia 14 desse mês.

 

Últimas Notícias

Petrobras demite funcionários com prisão decretada na Lava Jato
Porto de Santos movimenta 110 milhões de toneladas de carga em 2018
Alimentos da cesta básica estão mais caros em 16 capitais brasileiras
Vendas internas de veículos novos têm melhor resultado desde 2015
BNDES lança programa para atender startups
Mercosul e UE retomam negociação com expectativa de acordo até março
Poupança tem menor captação para meses de novembro em três anos
Toma posse diretoria da nova Agência Reguladora de Mineração

MAIS NOTICIAS

 

Moro reafirma “confiança pessoal” em Onyx
 
 
Após discussão, votação do Escola sem Partido em comissão é suspensa
 
 
Senado aprova projeto que congela distribuição de recursos do FPM
 
 
Crediário e cartão são os maiores responsáveis pela inadimplência
 
 
Balança comercial tem segundo melhor superávit para meses de novembro
 
 
Enel anuncia R$ 3,1 bi em distribuição de energia em São Paulo

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212