Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Jul de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Meio Ambiente rejeita transferência de responsabilidade do manejo da fauna silvestre a estados - Jornal Brasil em Folhas
Meio Ambiente rejeita transferência de responsabilidade do manejo da fauna silvestre a estados


A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável rejeitou, na quarta-feira (25), o Projeto de Lei Complementar (PLP) 436/14, do deputado Rogério Peninha Mendonça (PMDB-SC), que transfere para os estados a responsabilidade administrativa pelo controle do manejo, da caça e do recolhimento de amostras de espécies, de ovos e de larvas da fauna silvestre.

O relator na comissão, deputado Nilto Tatto (PT-SP), recomendou a rejeição do projeto por considerar que ele autorizaria, por vias indiretas, o exercício da caça no Brasil, hoje proibida por lei.

Tatto lembrou que a legislação modificada pelo projeto (Lei Complementar 140/11) já delega aos estados parte da atribuição de controlar a apanha de espécimes da fauna silvestre, ovos e larvas, mas desde que destinada à implantação de criadouros e à pesquisa científica. Fora isso, o Ibama tem assinado acordos de cooperação técnica para a gestão de fauna com vários estados.

Poder da União

“A modificação prevista pelo PLP 436/14 retira por completo qualquer atribuição da União nessa área e inova no texto dando a atribuição de controle de caça aos órgãos estaduais de meio ambiente, o que é um absurdo”, considerou Tatto.

Ele argumentou ainda que a fauna nacional é tutelada pela Lei 5.197/67, segundo a qual a fauna silvestre é propriedade do Estado, sendo proibida a sua utilização, perseguição, destruição, caça ou apanha. Ainda segundo a lei, se peculiaridades regionais comportarem a caça, a permissão será feita pelo poder público federal.

“A lei determina que o poder público federal é quem pode autorizar a caça em condições peculiares de cada região”, disse ainda Tatto, lembrando que a mesma norma proíbe a caça profissional. “Observa-se que o projeto procura burlar este mandamento com o intuito de autorizar por vias indiretas que os estados possam autorizar a caça amadora ou profissional no Brasil, situação com a qual não podemos concordar”, concluiu.

Tramitação

Antes de ser rejeitado na Comissão de Meio Ambiente, o texto havia sido aprovado na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público. Agora a proposta segue para a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania e depois para o Plenário.

Reportagem – Noéli Nobre
Edição – Roberto Seabra

 

Últimas Notícias

Temer participa da conferência dos países de língua portuguesa
Goiás Fomento liberou R$ 37 milhões para setor empresarial de Aparecida de Goiânia
Food Garden Flamboyant oferece conteúdo e o melhor da gastronomia
TIM contempla clientes de todo o Brasil com um par de ingressos para cinemas
Goiás quer menos desperdício de dinheiro e mais ações sociais efetivas em parceria com as igrejas, diz Ronaldo Caiado em Catalão
Evolução de Meirelles em pesquisas anima MDB
Lotéricas lutam para continuar recebendo faturas da Enel
Congresso aprova diretrizes orçamentárias para 2019

MAIS NOTICIAS

 

Relatório final da LDO pode ser entregue hoje na Comissão de Orçamento
 
 
Parecer da LDO veta renúncia fiscal, reduz custeio e congela salários
 
 
EBC suspende perfis nas redes sociais durante período eleitoral
 
 
Câmara pode votar nesta quarta projeto da Escola sem Partido
 
 
Brasil e Vietnã assinam acordos em aviação e agricultura
 
 
Toffoli cassa decisão de Moro e livra Dirceu de tornozeleira

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212