Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 FMI revisará em baixa projeção sobre economia global - Jornal Brasil em Folhas
FMI revisará em baixa projeção sobre economia global


O Fundo Monetário Internacional (FMI) fará uma pequena revisão em baixa de suas projeções de crescimento da economia global de janeiro, com uma expansão de 3,4%, antecipou nessa quarta-feira um diretor do organismo.

Muito possivelmente a revisão que se fará para as revisões de primavera (boreal) agora em abril terá uma pequena revisão à baixa, disse Alejandro Werner, diretor do Departamento do Hemisfério Ocidental do FMI.

A revisão em baixa dessa estimativa acontecerá na medida em que o quarto trimestre do ano de 2015 da economia mundial foi mais fraco do que o antecipado, explicou o economista, em uma intervenção mo seminário sobre política fiscal na sede da Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal), em Santiago.

No cenário atual, apesar de uma incerteza sobre o desenvolvimento da economia chinesa, hoje se vê certa recuperação dessas percepções, acrescentou.

Nos Estados Unidos, as estimativas de que a economia se expanda 2% são relativamente sólidas, enquanto as preocupações com a Europa são de que sua economia entre em processo de deflação.

Para a América Latina, o FMI espera que 2016 termine com um crescimento negativo de -0,3%.

Este número negativo esconde a desaceleração, pode-se dizer normal, que atingiu muitas economias do Cone Sul diante da queda dos termos de intercâmbio e alguma incerteza da política externa, assim como fatores domésticos, como a crises política e econômica enfrentadas por países como Brasil e Venezuela, explicou Werner.

O FMI também antecipa uma queda significativa no Equador, segundo país da região mais exposto à redução do preço do petróleo.

A Argentina deve mostrar uma recuperação do crescimento econômico até o quarto trimestre deste ano, como consequência das medidas econômicas anunciadas pelo novo governo de Mauricio Macri.

Nessa perspectiva, a Argentina é o país para o qual antecipamos a maior aceleração econômica para o ano que vem, declarou o economista.

 

Últimas Notícias

John Forman recusa cargo no Conselho de Administração da Petrobras
Em visita oficial, Macri é recebido no Planalto por Bolsonaro
Mercado financeiro prevê inflação em 4,02% neste ano
Consultas de CPFs para vendas a prazo no comércio crescem 2,8%
Produção de bicicletas aumenta 15,9% no Brasil
Receita abre consulta a restituição do Imposto de Renda de 2008 a 2018
Ex-comandante da Marinha é indicado para o conselho da Petrobras
Inflação para idosos fecha 2018 em 4,75%, informa FGV

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212