Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


09 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 FAPESP e Prefeitura de Jundiaí assinam acordo de cooperação - Jornal Brasil em Folhas
FAPESP e Prefeitura de Jundiaí assinam acordo de cooperação


Pelo convênio, a Prefeitura de Jundiaí e a FAPESP selecionarão e apoiarão projetos de pesquisa científica e tecnológica de startups e pequenas empresas inovativas sediadas no Estado de São Paulo.

Os projetos devem desenvolver soluções, serviços ou produtos ligados a temas referentes a cidades inteligentes e serão conduzidos no âmbito do Programa FAPESP Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE).

“Ficamos admirados que a Prefeitura de Jundiaí esteja realmente interessada em desenvolvimento científico e tecnológico. Isso é um perfil interessante. Ao que tudo indica, Jundiaí prefere colocar ciência e tecnologia para fazer o carro andar, disse José Goldemberg, presidente da FAPESP.

O programa PIPE é o maior programa brasileiro de apoio à inovação em startups. Desde 1997, ele vem apoiando a execução de pesquisa científica e/ou tecnológica em empresas no Estado de São Paulo. São quatro chamadas por ano e em 2017 o projeto aprovou 237 novas propostas submetidas por startups, pequenas e médias empresas.

Uma das contrapartidas oferecida pela Prefeitura de Jundiaí será a oferta de espaço físico na incubadora de empresas do município às startups selecionadas.

“Somos municipalistas por princípio. Acreditamos que toda e qualquer mudança parte do município. A parceria com a FAPESP será uma grande oportunidade para ganhamos em competitividade”, disse o prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado.

Na ocasião da assinatura do acordo, Machado comentou que a cidade de Jundiaí tem 100% de cobertura de esgoto e água tratada. “Nos últimos 40 anos houve um investimento grande em saneamento. Temos agora a base para transformar Jundiaí em uma smart city”, disse.

Para Mariana Savedra Pfitzner, diretora de Ciência e Tecnologia de Jundiaí – a prefeitura instaurou um sistema de plataformas e não de secretarias –, o acordo com a FAPESP será de grande relevância para a Política de Ciência e Tecnologia do município.

“Sabemos que inovação é uma atividade de alto risco e, se o empreendedor não tiver apoio financeiro, como a subvenção do programa PIPE da FAPESP, ele não vai conseguir inovar. Por isso, esse acordo é de extrema relevância para que possamos consubstanciar a Política de Ciência e Tecnologia de Jundiaí”, disse.


 

Últimas Notícias

Petrobras demite funcionários com prisão decretada na Lava Jato
Porto de Santos movimenta 110 milhões de toneladas de carga em 2018
Alimentos da cesta básica estão mais caros em 16 capitais brasileiras
Vendas internas de veículos novos têm melhor resultado desde 2015
BNDES lança programa para atender startups
Mercosul e UE retomam negociação com expectativa de acordo até março
Poupança tem menor captação para meses de novembro em três anos
Toma posse diretoria da nova Agência Reguladora de Mineração

MAIS NOTICIAS

 

Moro reafirma “confiança pessoal” em Onyx
 
 
Após discussão, votação do Escola sem Partido em comissão é suspensa
 
 
Senado aprova projeto que congela distribuição de recursos do FPM
 
 
Crediário e cartão são os maiores responsáveis pela inadimplência
 
 
Balança comercial tem segundo melhor superávit para meses de novembro
 
 
Enel anuncia R$ 3,1 bi em distribuição de energia em São Paulo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212