Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Vendas do comércio varejista do Rio caem 3,6% no trimestre - Jornal Brasil em Folhas
Vendas do comércio varejista do Rio caem 3,6% no trimestre


As vendas do comércio varejista do Rio de Janeiro caíram 3,8% em março comparado a março do ano passado, fechando o trimestre com retração acumulada de 3,6% frente a igual período do ano passado. Os dados foram divulgados hoje (3) pelo Centro de Estudos do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDL-Rio).

De acordo com o CDL, o resultado de março repete os fracos resultados dos dois primeiros meses do ano, que foram de quedas de 3,7% em janeiro e de 4,4% em fevereiro, sempre tendo como base de comparação igual mês do ano passado.

Para o presidente do CDL-Rio, Aldo Gonçalves, a “crise financeira” por que passa o estado é a principal causa da retração no comércio varejista. “Para aumentar ainda o quadro de dificuldades enfrentadas pelo comércio, especialmente o carioca, a crise financeira do estado, a maior da sua história, continua refletindo nas vendas, o que tem colaborado para afastar os consumidores das compras”, disse.
Bens

A pesquisa constatou que em março todos os segmentos de bens não duráveis (o chamado Ramo Mole do comércio) e de bens duráveis (Ramo Duro) apresentaram resultados negativos. As retrações em março variaram dos 19,9% do setor de tecidos, passando pelos menos 15,4% de calçados, até os menos 0,7% do setor de móveis, o de menor queda. O setor de confecções fechou em queda de 8%, óticas, menos 6,6%); joias menos 11,5% e eletrodomésticos, menos 2,2%.

Em sua maioria, o consumidor optou pelas vendas a prazo, que fecharam positivo em 0,2% em março frente a março do ano passado. Em contrapartida, as vendas à vista cairam 7,6%.

Em relação às vendas conforme a localização dos estabelecimentos comerciais, a pesquisa indica que no segmento de bens não duráveis caíram mais no centro da cidade, onde as lojas venderam 15,7%, enquanto a queda na zona sul ficou em menos 8,3%% e as da zona norte em menos 6,9%.

Já no segmento de bens duráveis, os números divulgados pelo Clube dos Diretores Lojistas indicam que a queda maior continuou ocorrendo nos estabelecimentos comerciais do centro da cidade, onde a queda chegou a 7,6%, seguido da zona sul com menos 2,3% e da zona norte com menos 1,6%.

A pesquisa Termômetro de Vendas ouviu 750 estabelecimentos comerciais.

Edição: Fernando Fraga

 

Últimas Notícias

Furto de combustível causou explosão que matou ao menos 66 pessoas
Sobe para 399 número de presos por ataques no Ceará
Migrantes desaparecidos em naufrágio no Mediterrâneo já são 114
Aniversário de São Paulo terá programação com diversidade de ritmos
Mais de 600 pessoas levavam gasolina na hora da explosão de oleoduto
Pré-carnaval movimenta foliões nas ruas do Rio
Brasil expressa condolências às famílias das vítimas no México
Marcha das Mulheres reúne milhares pelo mundo

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212