Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Governo do DF mantém atenção sobre abastecimento d’água até fim do ano - Jornal Brasil em Folhas
Governo do DF mantém atenção sobre abastecimento d’água até fim do ano


Após o anúncio do fim do racionamento de água no Distrito Federal a partir de 15 de junho, feito ontem (3) pelo governo local, o diretor-presidente da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa), Paulo Salles, disse hoje (4) que não acredita na necessidade de um novo racionamento, mas informou que os níveis dos reservatórios serão acompanhados até o fim do ano e novas medidas podem ser adotadas.

De acordo com a Resolução 8 da Adasa, caso os dados da curva de referência estabelecendo o nível dos reservatórios, até o final do ano, se afastem da trajetória, a agência poderá adotar medidas para que seja mantido o traçado original. “Nós vivemos um período de muita incerteza climática. Temos que manter a população alerta e ciente de poupar muito a água, de forma a garantir a manutenção da curva e chegar até o próximo período chuvoso em segurança”, ressaltou Salles.

O dirigente reconhece que os níveis de chuva no reservatório do Descoberto, responsável pelo abastecimento de 64% do Distrito Federal, estarem abaixo da média histórica, mas acha que novo racionamento é improvável. “Nós confiamos que não será necessário. Há muitos elementos que nos permitem essa segurança, como as novas fontes de abastecimento do Paranoá e do Bananal e também o trabalho junto aos irrigantes para o consumo mais racional”, disse o diretor-presidente, em entrevista coletiva.

Segundo a Adasa, se o consumo voltasse aos índices anteriores ao racionamento, o nível do Descoberto ficaria negativo. Com a ampliação da captação, pela Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb), de 3,3 para 4,3 metros cúbicos por segundo; e o aumento autorizado de retirada de água dos córregos, pelos irrigantes, por seis horas diárias - conforme estabelece a Resolução 8 da Adasa; o volume útil do reservatório deve chegar ao piso mínimo de 21,9%, em novembro.

O diretor-presidente informou que após o término do racionamento haverá reuniões mensais com a Caesb, Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural e Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal, e, periodicamente, com o Grupo de Acompanhamento, para avaliar o consumo, além de campanhas publicitárias e outras iniciativas que garantam a segurança hídrica no período de estiagem.

Edição: Davi Oliveira

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212