Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


25 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Trump reconhece apoio da China na reaproximação entre Coreias - Jornal Brasil em Folhas
Trump reconhece apoio da China na reaproximação entre Coreias


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, saudou as Coreias do Sul e do Norte pelo anúncio histórico de pleno acordo sobre desarmamento nuclear, bem como o compromisso demonstrado pelo líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, de acabar com as hostilidades que separam os dois países há mais de meio século. Trump também elogiou o presidente chinês Xi Jinping, e reconheceu que a ação da China no processo foi fundamental.

Por favor, não esqueça a grande ajuda que meu bom amigo, o presidente Xi, da China, deu aos Estados Unidos, particularmente na fronteira da Coreia do Norte. Sem ele, teria sido um processo muito mais longo e difícil!, escreveu em mensagem no Twitter.

Em texto anterior, o presidente norte-americano escreveu, destacando trechos em caixa alta: “GUERRA COREANA PARA O FIM! Os Estados Unidos e todos os seus GRANDES habitantes devem estar muito orgulhosos do que está acontecendo na Coreia! Coisas boas estão acontecendo, mas só o tempo dirá!

Hoje (27) de manhã, fim da noite no horário local, em anúncio conjunto, os líderes dos dois países concordaram em encerrar a Guerra da Coreia, 65 anos após o fim das hostilidades.

A declaração conjunta, assinada pelas duas Coreias, diz que não haverá mais guerra na Península”. O encontro histórico ocorreu depois de um ano tenso, com constantes exercícios nucleares por parte de Pyongyang e intensa atividade militar dos Estados Unidos, da Coreia do Sul e do Japão na região.

No ano passado, durante os debates da Assembleia Geral das Nações Unidas, Donald Trump fez um duro discurso contra Kim Jong-un e afirmou que atacaria o país com fogo e fúria. Agora, com outro ânimo, Trump afirma que a atitude de Kim foi honrosa.

A decisão de desnuclearização é uma exigência de Washington para que o encontro com Trump aconteça.

No ano passado, a Coreia do Norte sofreu sanções, em três ocasiões, pelo Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas, e passou a ser bastante pressionada pelo principal parceiro comercial, a China. O governo chinês, em vários momentos, defendeu a saída diplomática para o conflito.

Edição: Graça Adjuto

 

Últimas Notícias

Varejo perde R$ 19,5 bilhões em 2017 por danos em produtos e furtos
A partir deste sábado, candidatos só podem ser presos em flagrante
Brasileiros não se sentem prontos para lidar com a morte, diz pesquisa
Aos 95 anos, Gervásio Baptista recebe Medalha do Mérito Jornalístico
PF combate grupo criminoso responsável por contrabando de cigarros
Primavera começa hoje com possibilidade de novo episódio do El Niño
Facebook anuncia medidas para combater contas falsas e desinformação
Polícia Militar faz operação na Rocinha

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212